Porto Alegre, quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.
Aniversário da Casa da Moeda do Brasil.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 21h01min, 10/02/2021.

Famurs orienta retorno gradativo e híbrido das aulas nos municípios

Federação reforçou a importância de adiantar a vacinação de professores e profissionais da educação para garantir um retorno seguro

Federação reforçou a importância de adiantar a vacinação de professores e profissionais da educação para garantir um retorno seguro


ITAMAR AGUIAR/PALÁCIO PIRATINI/JC
Com as aulas nas escolas municipais de Porto Alegre previstas para começarem no dia 22 de fevereiro, e na rede estadual no dia 8 de março, a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), em reunião realizada ontem, reforçou a importância de adiantar a vacinação de professores e profissionais da educação para garantir um retorno seguro.
Com as aulas nas escolas municipais de Porto Alegre previstas para começarem no dia 22 de fevereiro, e na rede estadual no dia 8 de março, a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), em reunião realizada ontem, reforçou a importância de adiantar a vacinação de professores e profissionais da educação para garantir um retorno seguro.
Após manifestação dos prefeitos e deliberação em Assembleia Geral, a entidade propôs aos gestores que o retorno presencial na rede municipal seja realizado gradativamente e com revezamento dos alunos de forma híbrida, mantendo as aulas a distância.
A Famurs também está buscando com o governo do Estado a possibilidade de incluir nos grupos prioritários e adiantar a vacinação dos profissionais de educação. A medida visa garantir um retorno mais seguro para professores, alunos e servidores.
Contudo, para o retorno, a Federação entende que é necessário o cumprimento de todos os protocolos estabelecidos pelo governo do Estado e que os municípios tenham autonomia para definir um calendário próprio, diferente do estabelecido pelo Estado, de acordo com a realidade de cada região.
Comentários CORRIGIR TEXTO