Porto Alegre, quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Trabalho

- Publicada em 20h58min, 13/01/2021. Atualizada em 21h12min, 13/01/2021.

Justiça suspende demissões de funcionários acima de 75 anos em hospital do GHC

Comunicado do fim dos contratos é feito desde o começo da pandemia, em março de 2020

Comunicado do fim dos contratos é feito desde o começo da pandemia, em março de 2020


JOYCE ROCHA/JC
A Justiça do Trabalho em Porto Alegre suspendeu nesta quarta-feira (13) as demissões de funcionários com mais de 75 anos que estavam sendo feitas no Hospital Nossa Senhora da Conceição, ligado ao Grupo Hospitalar Conceição (GHC).
A Justiça do Trabalho em Porto Alegre suspendeu nesta quarta-feira (13) as demissões de funcionários com mais de 75 anos que estavam sendo feitas no Hospital Nossa Senhora da Conceição, ligado ao Grupo Hospitalar Conceição (GHC).
Liminar foi obtida em ação civil pública movida pelo Sindisaúde e pela Associação dos Servidores do GHC. O grupo hospitalar federal disse, no fim da tarde desta quarta, que não foi notificado ainda da decisão do juiz Ary Faria Marimon Filho.
As recentes rescisões também foram questionadas pelo Sindicato Médico do RS (Simers). O comunicado vinha sendo feita por meio de telegrama e a três dias do término dos contratos.
O GHC alegou que segue uma "imposição legal" atrelada à emenda constitucional 103, de 2019, que exigiria a extinção dos contratos de trabalho devido à aposentadoria compulsória, o que se aplicaria a servidores públicos concursados.
O Simers negou que haveria respaldo legal para a medida e nem regulamentação de aposentadoria compulsória dos empregados públicos.
Sindisaúde e Aserghc apontam que não se aplica a regra aos contratados. As entidades dizem que os profissionais recebem os comunicados para afastamento desde o começo da pandemia da Covid-19, em março de 2020, mesmo mantendo a remuneração. 
O juiz citou decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que dispensa a aposentadoria compulsória.
Comentários CORRIGIR TEXTO