Porto Alegre, quinta-feira, 10 de dezembro de 2020.
Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 10 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

FISCALIZAÇÃO

- Publicada em 16h55min, 10/12/2020. Atualizada em 18h06min, 10/12/2020.

Prefeitura de Porto Alegre registra aumento de 258% nas denúncias em atividades econômicas

Administração municipal recebeu mais de 9 mil chamados ao longo do ano

Administração municipal recebeu mais de 9 mil chamados ao longo do ano


ANTONIO PAZ/ARQUIVO/JC
A prefeitura de Porto Alegre registrou aumento de 258,33% nas denúncias ligadas a atividades econômicas feitas pelo telefone 156, número disponibilizado para consultas e acesso aos serviços municipais.
A prefeitura de Porto Alegre registrou aumento de 258,33% nas denúncias ligadas a atividades econômicas feitas pelo telefone 156, número disponibilizado para consultas e acesso aos serviços municipais.
De acordo com a diretoria de Fiscalização da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Smde), foram recebidos 9.055 chamados ao longo do ano, contra 2.527 registrados em 2019. A maioria dos atendimentos tratou do descumprimento dos decretos municipais e protocolos de combate à Covid-19.
“A ampliação ocorreu pela preocupação da população em fazer cumprir as normas e controlar o avanço da doença na cidade. Ao mesmo tempo, a fiscalização permanente nas ruas da Capital fez diminuir as denúncias de ambulantes irregulares em 27,12%”, destaca o diretor de Fiscalização, Denis Carvalho.
Mais de 98% dessas denúncias foram atendidas pelos agentes da prefeitura, e o restante segue na fila para vistoria. Além disso, o departamento promoveu mais de 22 mil ações de fiscalização preventiva.
Para denúncias ligadas ao enfrentamento da pandemia é preciso ligar para o telefone 156 e digitar a opção 5, que direciona a ligação à fiscalização por descumprimento das normas de coronavírus.
Comentários CORRIGIR TEXTO