Porto Alegre, sábado, 21 de novembro de 2020.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 21 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 11h20min, 21/11/2020.

Enfrentamento negativo de situações pode levar a doenças, diz cardiologista

Sentimentos negativos causam estresse, o que está associado ao adoecimento cardiovascular

Sentimentos negativos causam estresse, o que está associado ao adoecimento cardiovascular


CLAUDIO FACHEL/PALÁCIO PIRATINI/JC
Sentimentos como raiva, falta de perdão e enfrentamento negativo de situações cotidianas podem levar ao adoecimento, segundo o médico cardiologista e diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Álvaro Avezum. Para o médico, é fundamental que os cardiologistas passem a abordar questões como a espiritualidade com os seus pacientes, o que não tem relação, necessariamente, com a religião.
Sentimentos como raiva, falta de perdão e enfrentamento negativo de situações cotidianas podem levar ao adoecimento, segundo o médico cardiologista e diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Álvaro Avezum. Para o médico, é fundamental que os cardiologistas passem a abordar questões como a espiritualidade com os seus pacientes, o que não tem relação, necessariamente, com a religião.
A espiritualidade, segundo o cardiologista, é o conjunto de valores morais, mentais e emocionais que norteiam os pensamentos, comportamentos e atitudes da pessoa consigo e com os outros. Por isso, essas características devem ser levadas em consideração no tratamento e na prevenção de doenças cardiovasculares. "Este é um assunto em que a ciência está se envolvendo e deve se envolver cada vez mais, porque é uma maneira de avaliar o paciente na sua integralidade e não apenas um órgão isoladamente", ressalta Avezum.
Conforme a Socesp, a orientação para que se faça avaliações envolvendo fatores de espiritualidade está baseada na Diretriz de Prevenção Cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia e é realizada com o objetivo de investigar casos de pacientes consideráveis estáveis. "Se o paciente estiver em situação clínica instável, em uma UTI, você não deve avaliar isso. Entretanto, o paciente estável, em ambulatório ou consultório, deve ter sua espiritualidade avaliada”, garantiu o especialista. “Infarto e acidente vascular cerebral constituem a causa número um e número dois de morte no Brasil, e o AVC é a causa número um de incapacitação”, complementou o médico, acrescentando que além dos já conhecidos fatores de risco, como hipertensão, diabetes, tabagismo, obesidade e colesterol alterado, o estresse e a depressão também são fatores de risco para infarto.
Para Avezum, essa associação espiritual é significativa, já que a prevenção e o gerenciamento do estresse evitam em torno de um terço do total de casos de infarto. "O enfrentamento negativo das situações adversas - raiva, hostilidade, não perdoar, mágoa, ruminação, isso é enfrentamento negativo - está associado à liberação e produção de determinados hormônios (adrenalina e cortisol), aumentando a atividade inflamatória e pró-coagulante, associando-se ao adoecimento cardiovascular", disse Avezum ao explicar que a atividade inflamatória é nociva para o paciente.
De outro modo, o enfrentamento positivo, quando o indivíduo tem disposição ao perdão, altruísmo, gratidão, está associado a uma melhor saúde cardiovascular. "Há estudos mostrando a associação de enfrentamento negativo, sentimentos não edificantes, com adoecimento cardiovascular. Se isso se associa com adoecimento, preciso avaliar, dentro da minha consulta, se o indivíduo tem questões de estresse, de depressão ou de enfrentamento negativo das situações adversas, sejam conjugais, profissionais ou mesmo na sociedade”.
Para ele, há expectativa quanto aos estudos que englobam a medicina e a espiritualidade. “Os estudos clínicos em espiritualidade são preliminares e promissores, havendo necessidade de realização de estudos maiores para definir se intervenções baseadas em perdão ou em gratidão, por exemplo, podem reduzir a ocorrência de infarto do miocárdio, acidente vascular e morte cardiovascular", acrescentou o especialista.
Comentários CORRIGIR TEXTO