Porto Alegre, quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Dia do Supermercado. Dia Internacional da Qualidade.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

energia elétrica

- Publicada em 13h12min, 12/11/2020.

Alcolumbre diz que vai acionar PF e MP para investigar apagão no Amapá

Laudo preliminar da Polícia Civil apontando que apagão não foi causado por um raio

Laudo preliminar da Polícia Civil apontando que apagão não foi causado por um raio


PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO/JC
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), informou por meio de nota que vai acionar a Polícia Federal e o Ministério Público Federal para investigar as causas do apagão no Amapá. A maior parte do Estado ficou sem energia elétrica e o serviço ainda não foi restabelecido integralmente.
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), informou por meio de nota que vai acionar a Polícia Federal e o Ministério Público Federal para investigar as causas do apagão no Amapá. A maior parte do Estado ficou sem energia elétrica e o serviço ainda não foi restabelecido integralmente.
O apagão ocorreu após um incêndio na subestação Macapá que levou ao desligamento automático da linha de transmissão Laranjal/Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes e Ferreira Gomes, o que deixou 14 dos 16 municípios do Amapá sem energia.
Em nota enviada pela assessoria de imprensa, Alcolumbre citou um laudo preliminar da Polícia Civil apontando que o incêndio não foi causado por um raio, como foi noticiado inicialmente. "O pedido do presidente do Senado visa esclarecer o que aconteceu e estabelecer a verdade dos fatos", diz a nota.
Na quarta, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, afirmou que o adiamento da eleição municipal em Macapá foi decidido após autoridades eleitorais e de segurança pública afirmarem não haver "condições de segurança e tranquilidade" para realização do pleito na capital do Amapá.
Em entrevista ao Jornal Eldorado, da Rádio Eldorado, o ministro disse ter sido informado que até mesmo a ação de facções criminosas estava fora de controle durante a crise energética e social vivida pelo Estado.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO