Porto Alegre, quarta-feira, 11 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 11 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 11h45min, 11/11/2020.

Santa Casa de Porto Alegre tem aumento de 50% nos transplantes em outubro

Complexo hospitalar retomou a normalidade dos procedimentos no início de setembro

Complexo hospitalar retomou a normalidade dos procedimentos no início de setembro


Carol Fornasier/Santa Casa/Divulgação/JC
A pandemia do novo coronavírus fez com que os números relativos à realização de transplantes no país despencassem. Pois, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre teve um outubro animador no que diz respeito à retomada dos procedimentos. O complexo hospitalar realizou, no mês passado, 55 transplantes de órgãos. Em relação a setembro, quando a instituição realizou 36 procedimentos, o aumento foi superior a 50%.
A pandemia do novo coronavírus fez com que os números relativos à realização de transplantes no país despencassem. Pois, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre teve um outubro animador no que diz respeito à retomada dos procedimentos. O complexo hospitalar realizou, no mês passado, 55 transplantes de órgãos. Em relação a setembro, quando a instituição realizou 36 procedimentos, o aumento foi superior a 50%.
Em 16 de julho, a Santa Casa restringiu os transplantes de órgãos, mantendo somente aqueles que fossem de urgência. Em 13 de agosto, foram retomados os transplantes eletivos pediátricos e, em 2 de setembro, a instituição voltou a realizar transplantes de adultos e crianças, tanto de urgência quanto eletivos.
De acordo com o diretor médico da Santa Casa Antônio Nocchi Kalil, dois aspectos foram fundamentais para a retomada: a desaceleração dos casos de Covid-19 e as campanhas de conscientização que tradicionalmente ocorrem no mês de setembro. “Certamente, estes fatores foram decisivos para que tivéssemos esse importante aumento na realização dos transplantes, tendo um mês de outubro até melhor do que fevereiro, antes da pandemia chegar ao país. Também precisamos valorizar e agradecer a solidariedade das famílias que, em um momento de dor, disseram ‘sim’ para este importante ato que salva vidas”, explica Kalil.
Desde janeiro, a Santa Casa realizou 419 transplantes de órgãos, sendo 64 em janeiro, 51 em fevereiro, 58 em março, 32 em abril, 42 em maio, 38 em junho, 24 em julho, 19 em agosto, 36 em setembro e 55 em outubro. No mesmo período do ano passado, a instituição realizou 536 procedimentos e, ao todo, em 2019, foram 648 transplantes de órgãos.
O Banco de Pele da Santa Casa também teve bons resultados no mês passado. Após os estoques de tecido chegarem perto de zero nos meses mais críticos da pandemia, outubro resultou em cinco captações de pele. Desde o início do ano, o Banco de Pele disponibilizou 32.087 cm² de pele e realizou 25 envios de tecido para o tratamento de grandes queimados em diversos hospitais do país. No atual cenário, o Banco dispõe de um estoque de 803 cm², sem contabilizar o que ainda será processado das captações decorrentes de outubro.
Comentários CORRIGIR TEXTO