Porto Alegre, sexta-feira, 06 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 06 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 20h39min, 05/11/2020.

Porto Alegre contabiliza 69 casos de Covid-19 em escolas

Retomada gradual do ensino começou em 28 de setembro

Retomada gradual do ensino começou em 28 de setembro


/SAVO PRELEVIC/AFP/JC
Gabriela Porto Alegre
Desde que as atividades presenciais foram retomadas nas escolas de Porto Alegre, no final de setembro, pelo menos 69 casos de Covid-19 foram confirmados entre professores, funcionários e alunos até 24 de outubro, segundo boletim divulgado pelas secretarias municipais da Saúde (SMS) e da Educação (Smed) na terça-feira (3). O número, porém, é diferente do divulgado no dia 23 de outubro, quando a Smed confirmou 77 casos apenas na rede municipal, sendo que cinco eram crianças.
Desde que as atividades presenciais foram retomadas nas escolas de Porto Alegre, no final de setembro, pelo menos 69 casos de Covid-19 foram confirmados entre professores, funcionários e alunos até 24 de outubro, segundo boletim divulgado pelas secretarias municipais da Saúde (SMS) e da Educação (Smed) na terça-feira (3). O número, porém, é diferente do divulgado no dia 23 de outubro, quando a Smed confirmou 77 casos apenas na rede municipal, sendo que cinco eram crianças.
No mesmo dia dessa confirmação, outras 180 pessoas estavam com suspeita da doença, sendo que 12 alunos tiveram resultados negativos. Entre os casos confirmados havia pessoas ligadas a 14 escolas comunitárias e de educação infantil, além de pelo menos outras oito instituições (de educação infantil e ensino fundamental) que ainda nem tinham aberto as portas. Apesar da confirmação dos 77 casos, a assessoria de imprensa da Smed informou que o número se tratava de "levantamento preliminar", sendo os atuais, os corretos.
Portanto, dos 69 casos agora realmente confirmados, 12 são de alunos, 23 de funcionários e 34 de professores. O maior número de contaminações ocorreu entre 18 e 24 de outubro, com mais de 30 diagnósticos positivos, sendo sete em funcionários, oito em alunos e 16 em professores.
A retomada gradual do ensino iniciou em 28 de setembro, data em que atividades de alimentação de educação infantil, atividades de apoio e adaptação começaram, aos poucos, a serem testadas. Na semana seguinte, em 5 de outubro, foi a vez do retorno da educação infantil, terceiro ano do ensino médio, educação profissional e educação de jovens e adultos (EJA). Já em 13 de outubro, começaram a ser retomadas atividades de alimentação em todas as outras escolas e atividades de apoio em nível fundamental, médio e especial. O retorno do ensino fundamental 1, especial e EJA (nível municipal) estava previsto para acontecer em 19 de outubro. O retorno, porém, foi marcado pela baixa adesão.
Na terça-feira, o calendário de retorno das atividades presenciais foi concluído com a retomada do ensino fundamental 2, especial, 1º e 2º anos do ensino médio e atividades de turno inverso.
De acordo com o boletim da SMS e Smed, pelo menos 10.479 alunos já retornaram às atividades presenciais no município, além de 2.605 funcionários e 2.214 professores. A educação infantil é o nível que, até o momento, teve maior adesão: 9.082 alunos em atividades presenciais, seguido pelo ensino fundamental, com 825, médio, com 290, e o ensino profissionalizante, com 282. O relatório não traz informações separadas entre contaminações ocorridas na rede pública e privada.
Nos últimos 10 dias, a reportagem tomou conhecimento de pelo menos duas escolas privadas que registraram contaminações por Covid-19 entre professores e funcionários. Outras instituições, inclusive, preferiram não divulgar informações e alegaram estar seguindo diretrizes internas amparadas pelos protocolos de segurança. A reportagem também tentou obter dados com o Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul, mas a instituição afirmou não possuir um levantamento sobre casos.

Contaminações por semana

26 a 3/10: 5 casos (um aluno, dois funcionários e dois professores);

4 a 10/10: 17 casos (um aluno, sete funcionários e nove professores);

11 a 17/10: 16 casos (dois alunos, sete funcionários e sete professores);

18 a 24/10: 31 casos (oito alunos, sete funcionários e 16 professores);

Comentários CORRIGIR TEXTO