Porto Alegre, quinta-feira, 15 de outubro de 2020.
Dia do Professor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 15 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

EDUCAÇÃO

- Publicada em 17h57min, 15/10/2020.

São Leopoldo suspende aulas presenciais da rede pública até o final de 2020

Decisão de não retomar as aulas foi anunciada em reunião com comitês de escolas e Cpers-Sindicato

Decisão de não retomar as aulas foi anunciada em reunião com comitês de escolas e Cpers-Sindicato


VELENTIN THOMAZ/DIVULGAÇÃO/JC
A prefeitura de São Leopoldo, no Vale do Sinos, suspendeu as aulas presenciais e atividades extracurriculares na rede pública municipal e estadual de ensino até o final do ano. A decisão, publicada por meio de um decreto municipal, foi adotada como forma de prevenção e enfrentamento à pandemia da Covid-19 da cidade.
A prefeitura de São Leopoldo, no Vale do Sinos, suspendeu as aulas presenciais e atividades extracurriculares na rede pública municipal e estadual de ensino até o final do ano. A decisão, publicada por meio de um decreto municipal, foi adotada como forma de prevenção e enfrentamento à pandemia da Covid-19 da cidade.
O decreto, assinado pelo prefeito Ary Vanazzi, entra em vigor a partir desta sexta-feira (16) e também inclui as escolas conveniadas e contratadas do município. O anúncio da decisão foi feito durante reunião do secretário municipal de Educação, Ricardo da Luz, com representantes do Cpers-Sindicato e do comitê de Escolas Estaduais de São Leopoldo, formado por professores, diretores de escolas pais e alunos.
A suspensão das aulas presenciais atende a um pedido das entidades, contrárias à retomada das escolas públicas da cidade. “Como gestão, entendemos que a pandemia não está encerrada, ela segue, ainda que de forma controlada. Dito isso, o nosso entendimento é que se liberarmos as escolas estaduais, a circulação de pessoas irá aumentar consideravelmente pela cidade, então, optamos por não abrir nenhuma escola pública”, explicou o secretário.
Para o diretor geral do núcleo do Cpers, Luiz Henrique Becker, a deliberação foi acertada. “Acho que isso foi muito sensato e importante por parte da secretaria e da prefeitura como um todo. Este é um momento difícil, onde se faz necessário tomarmos todos os cuidados possíveis, e os cidadãos precisam cobrar condições de segurança para que, aí sim, as escolas tenham a possibilidade de retorno presencial”, concluiu.
No Estado, o retorno da rede pública de ensino ocorre na próxima terça-feira (20), e foi confirmado pelo governador Eduardo Leite na quarta-feira (14).
Comentários CORRIGIR TEXTO