Porto Alegre, quinta-feira, 01 de outubro de 2020.
Dia Nacional do Idoso e Dia do Vendedor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 01 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

EDUCAÇÃO

- Publicada em 18h26min, 01/10/2020. Atualizada em 19h24min, 01/10/2020.

Maioria das escolas privadas de Porto Alegre deve retomar as aulas na segunda quinzena de outubro

Aulas da Educação Infantil, dos Ensinos Médio, Profissionalizante e EJA poderão ser retomadas semana que vem

Aulas da Educação Infantil, dos Ensinos Médio, Profissionalizante e EJA poderão ser retomadas semana que vem


Derli Colomo Junior/DIVULGAÇÃO/CIDADES
Fernanda Crancio
A maioria das escolas privadas de Porto Alegre deve retomar as atividades presenciais apenas na segunda quinzena de outubro, segundo levantamento feito pelo Sindicato do Ensino Privado do Estado (Sinepe-RS). Após a liberação do retorno às aulas na Capital pelo governo do Estado, confimada na manhã desta quinta-feira (1), apenas uma das 74 instituições associadas à entidade já havia confirmado a abertura na próxima segunda-feira (5), seguindo o cronograma proposto pelo município.
A maioria das escolas privadas de Porto Alegre deve retomar as atividades presenciais apenas na segunda quinzena de outubro, segundo levantamento feito pelo Sindicato do Ensino Privado do Estado (Sinepe-RS). Após a liberação do retorno às aulas na Capital pelo governo do Estado, confimada na manhã desta quinta-feira (1), apenas uma das 74 instituições associadas à entidade já havia confirmado a abertura na próxima segunda-feira (5), seguindo o cronograma proposto pelo município.
Pelo calendário de volta às aulas estão autorizadas a reabrir as turmas de Educação Infantil, o terceiro ano do Ensino Médio, o Ensino Profissionalizante e a Educação de Jovens e Adultos (EJA).
De acordo com o presidente do Sindicato do Ensino Privado do Estado (Sinepe-RS), Bruno Eizerik, as escolas já estão preparadas desde julho para o retorno, com organização e adoção de protocolos e normas de segurança necessárias, porém, aguardavam publicação de decreto validando a medida para definir a data de volta às atividades. Segundo o Palácio Piratini, não há previsão de lançamento de nova regulamentação estadual, já que as escolas devem apenas se adequar às regras já existentes. Já a prefeitura de Porto Alegre deverá publicar decreto revogando a suspensão das aulas. Na tarde desta quinta-feira (1), o município publicou decreto normatizando os protocolos que deverão ser seguidos por todos os estabelecimentos de ensino da cidade.
A retomada de grande parte das escolas apenas após o dia 15 de outubro também respeita acordo trabalhista firmado com o Sinepe, que determinou duas semanas de recesso para os professores e funcionários de escola no ano. Assim, as instituições que não fizeram a pausa no mês de julho deverão aproveitar a semana alusiva ao Dia do Professor, comemorado em 15 de outubro, para isso. A semana ainda acumula o feriado de Nossa Senhora Aparecida, no dia 12 de outubro. "Acreditamos que até o dia 19 de outubro teremos todas as escolas privadas do Estado já operando. Pesquisa feita pelo Sinepe recentemente indicava que 80% das escolas tinham a intenção de voltar às atividades", destaca Eizerik.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/01/206x137/1_co_pia_de_zat_200729_0088_editar-9154269.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f763f520321c', 'cd_midia':9154269, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/01/co_pia_de_zat_200729_0088_editar-9154269.jpg', 'ds_midia': 'Colégio Farroupilha, que reabrirá dia 5 de outubro, preparou sinalização dos ambientes e equipamentos', 'ds_midia_credi': 'MARINA MEYER/DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Colégio Farroupilha, que reabrirá dia 5 de outubro, preparou sinalização dos ambientes e equipamentos', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Colégio Farroupilha, que abrirá as portas em 5 de outubro, sinalizou distanciamento nos ambientes e equipamentos. Crédito: Marina Meyer/ Divulgação/ JC
Na Capital, apenas o Colégio Farroupilha confirmou o retorno no dia 5 de outubro, para a Educação Infantil escalonada, começando pelo Nível 5. O Ensino Médio, também permitido, deverá ser retomado no dia 14 de outubro, segundo a assessoria da escola. De acordo com o Sindicato, apenas uma escola privada de Porto Alegre não abrirá as portas este ano, o Colégio Santa Cecília.
No restante do Estado, somente as regiões do Planalto Médio e Sul ainda não definiram sobre os retornos, e a Região Central acertou 13 de outubro como a data para a volta. O presidente do Sinepe lembra que outras regiões, como a Serra e o Vale do Rio Pardo, já estão com as atividades a pleno há pelo menos duas semanas, sem registros de casos de Covid-19 desde a reabertura. "Isso mostra que ninguém vai receber alunos e professores se não tiver realmente condições pra isso", enfatiza Eizerik.
O Movimento das Escolas de Educação Infantil de Porto Alegre e Região Metropolitana, que reúne 256 escolas, afirma que todas abrirão as portas na semana seguinte, nem que seja para treinamento de equipes. "Todos os 256 diretores manifestaram que irão abrir, algumas apenas para treinamento no dia 5 de outubro, outras para as famílias apenas na semana seguinte", destaca Magliane Locatelli, uma das representantes do movimento e diretora da Escola de Educação Infantil Pais e Filhos, na Capital.
Pai de uma menina de dois anos, João Luiz Nunes defende a volta da Educação Infantil neste momento. Ele conta que a filha está na escolinha desde os quatro meses de idade e que a falta das atividades escolares têm sido sentida por todos. Ele e a esposa se adequaram nesses quase sete meses ao trabalho remoto e a divisão dos cuidados com a menina, mas revela que a produtividade acaba comprometida nessa situação. Na opinião de Nunes, a retomada das aulas será benéfica para a organização familiar e, principalmente, para o desenvolvimento da pequena. "Pela faixa etária da minha filha é fundamental ter interação social e troca, atividades direcionadas, oportunidade de correr, por mais que em casa tenhamos dado o que estava ao nosso alcance. Jamais levaríamos nossa filha para um local que não transmitisse a segurança necessária, nem desse o cuidado que ela tem em casa. Se esses protocolos existem e serão seguidos, isso nos deixa bastante confortáveis. Estamos só pelo dia 5", comenta.
Comentários CORRIGIR TEXTO