Porto Alegre, quarta-feira, 30 de setembro de 2020.
Dia da Secretária. Dia do Jornaleiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 30 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Concurso

- Publicada em 10h19min, 30/09/2020. Atualizada em 14h32min, 30/09/2020.

Defensoria Pública gaúcha amplia reserva de vagas para cotistas negros em concurso

Dividida em cinco fases, seleção ainda não tem definição do número de vagas

Dividida em cinco fases, seleção ainda não tem definição do número de vagas


JOYCE ROCHA/JC
A Defensoria Pública do Rio Grande do Sul (DPE) irá ampliar o percentual de reserva de vagas para candidatos cotistas negros em seu próximo concurso público, que deve ter edital lançado nos próximos meses. O regulamento para o VI Concurso para Ingresso na Carreira de Defensor Público do Estado do Rio Grande do Sul foi publicado nesta terça-feira (29) no Diário Eletrônico da DPE.
A Defensoria Pública do Rio Grande do Sul (DPE) irá ampliar o percentual de reserva de vagas para candidatos cotistas negros em seu próximo concurso público, que deve ter edital lançado nos próximos meses. O regulamento para o VI Concurso para Ingresso na Carreira de Defensor Público do Estado do Rio Grande do Sul foi publicado nesta terça-feira (29) no Diário Eletrônico da DPE.
A novidade da próxima seleção está no aumento de 20% para 30% no percentual de vagas destinadas a cotistas negros. Para os candidatos com deficiência, serão reservadas 10% das vagas. Já para os candidatos indígenas, a reserva será de 0,3% - percentual equivalente a representação da população indígena no total da população gaúcha.
No encontro que definiu o regulamento da seleção, o Conselho Superior da Defensoria Pública também decidiu pela exclusão do ponto de corte para cotistas em todas as fases do concurso para carreira.
Outro ponto definido foi a redução da nota mínima de aprovação para classificação na primeira fase do certame. A medida se dá porque, historicamente, é na primeira prova que ocorre a maior parte de reprovações.
O conselho definiu também pela exclusão, em todas as fases, da limitação de número de aprovados para os candidatos que concorrerem às vagas destinadas às pessoas com deficiência, aos negros e aos indígenas. Além disso, foi aprovada a inclusão dos Direitos das Famílias como disciplina específica dentre as matérias do Concurso.
O concurso será constituído por cinco fases:
1) prova objetiva;
2) provas discursivas;
3) sindicância sobre a vida pregressa do candidato, exames de sanidade física, psiquiátrica e aptidão psicológica; entrevista, de caráter eliminatório; e provas orais, de caráter eliminatório e classificatório;
4) prova de tribuna;
5) avaliação títulos;
O concurso terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois. A relação do número de vagas não foi contemplada no regulamento.
Comentários CORRIGIR TEXTO