Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

SAÚDE

- Publicada em 17h30min, 13/08/2020. Atualizada em 17h30min, 13/08/2020.

Hospitais gaúchos contam com ajuda de equipes de referência no enfrentamento à Covid-19 no Brasil

Médicos intensivistas relataram a importância do apoio recebido das instituições para combate ao coronavírus

Médicos intensivistas relataram a importância do apoio recebido das instituições para combate ao coronavírus


FACEBOOK/REPRODUÇÃO/JC
Fernanda Crancio
Para colaborar com os profissionais da saúde que atuam na linha de frente da Covid-19 no Estado, o governo gaúcho anunciou nesta quinta-feira (13) o projeto Tele UTI-RS, aderindo a programa do Ministério da Saúde que permite aos hospitais da rede estadual receber apoio de instituições referências no atendimento ao novo coronavírus no País, como o Hospital do Coração (HCor) e o Sírio Libanês, de São Paulo, e o Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre. A iniciativa já beneficia equipes de 25 hospitais do Estado e será estendida a outros 32.
Para colaborar com os profissionais da saúde que atuam na linha de frente da Covid-19 no Estado, o governo gaúcho anunciou nesta quinta-feira (13) o projeto Tele UTI-RS, aderindo a programa do Ministério da Saúde que permite aos hospitais da rede estadual receber apoio de instituições referências no atendimento ao novo coronavírus no País, como o Hospital do Coração (HCor) e o Sírio Libanês, de São Paulo, e o Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre. A iniciativa já beneficia equipes de 25 hospitais do Estado e será estendida a outros 32.
Com o auxílio de profissionais que já enfrentaram os piores picos da doença no Brasil, as equipes da saúde dos hospitais têm recebido orientações diárias sobre melhores tratamentos e condutas a serem aplicados nos pacientes internados em UTI. A parceria capacita os profissionais e permite gerenciar de forma mais ágil e precisa os atendimentos, principalmente diante da demanda, que resultou na ampliação do número de leitos de UTI, efetiva implantação de UTIs e capacitação de profissionais. "Não é só uma consultoria, é um apoio direto aos profissionais que estão na ponta das UTIs gaúchas”, explicou o governador Eduardo Leite.
Segundo o superintendente executivo do HCor, Fernando Torelly, sua equipe traz o aprendizado e experiência no enfrentamento ao coronavírus em São Paulo, que atualmente já conseguiu reduzir a taxa de ocupação de leitos, para colaborar com os hospitais que atendem pelo SUS. Até agora, 144 "visitas" em teleconferência já foram feitas às equipes gaúchas. "Nossos profissionais já viveram o pico da pandemia, já tiveram dúvidas, e hoje estão a serviço do sistema público de saúde em iniciativas como esse projeto para ajudar os colegas gaúchos. Tenho certeza de que, ao final de tudo isso, o Rio Grande do Sul será um dos estados com menor índice de mortalidade pela qualidade dos seus hospitais e profissionais da saúde”, disse.
A experiência bem-sucedida foi relatada pelos médico André Franz, coordenador técnico do Tele UTI e intensivista do Hospital Sagrada Família, de São Sebastião do Caí, e Juliano Machado, diretor clínico e coordenador da UTI Covid do Hospital Frei Clemente, de Soledade. Segundo os profissionais, o apoio ajuda a diminuir a sobrecarga dos profissionais, dá mais tranquilidade à tomada de decisões e segurança para enfrentar o desafio de lidar com uma doença desconhecida até então. "É visível a melhora na assistência, tanto no retorno dos colegas quanto dos pacientes", ressaltou Gomes, que conta com apoio do programa há 15 dias e dribla o desafio de ter implantado a UTI do Hospital São Clemente há dois meses. Franz explicou que diariamente uma equipe multidisciplinar avalia e discute as demandas dos pacientes, levando uma visão diferenciada ao tratamento com as experiências virtual e presencial.
O governador Eduardo Leite também divulgou que 25 hospitais de pequeno porte que atendem pelo SUS passarão a receber pacientes não-Covid que deixam as UTIs de hospitais maiores e que ainda precisam de cuidados prolongados, permitindo a liberação de leitos para os pacientes com sintomas graves do novo coronavírus. Para isso, terão aporte de R$ 16,6 milhões do Ministério da Saúde, em caráter excepcional. Serão 965 leitos disponibilizados nessas instituições de saúde, que não poderão realizar atendimento a pacientes com Covid-19. "Todos os nossos esforços são para manter a capacidade de atendimento aos gaúchos e gaúchas. Não chegamos, até o momento, a nem 80% de ocupação das UTIs. Isso tem sido feito com enorme esforço, abertura de novos leitos e parcerias como essas", ressaltou o chefe do Executivo.
Os hospitais beneficiados pelo Tele UTI-RS:
• Fundação Hospitalar Santa Terezinha (Erechim)
• Fundação Hospitalar Sapucaia do Sul (Sapucaia do Sul)
• Hospital Beneficente São Carlos (Farroupilha)
• Hospital Beneficente São Pedro (Garibaldi)
• Hospital Bruno Born (Lajeado)
• Hospital Centenário (São Leopoldo)
• Hospital de Caridade de Ijuí (Ijuí)
• Hospital de Caridade São Jerônimo (São Jerônimo)
• Hospital de Caridade São Roque (Faxinal do Soturno)
• Hospital de Tramandaí (Tramandaí)
• Hospital Frei Clemente (Soledade)
• Hospital Geral de Caxias do Sul
• Hospital Ivan Goulart (São Borja)
• Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
• Hospital Nossa Senhora das Graças (Canoas)
• Hospital Regional de Santa Maria (Santa Maria)
• Hospital Sagrada Família (São Sebastião do Caí)
• Hospital Santo Ângelo (Santo Ângelo)
• Hospital Santo Antônio (Tenente Portela)
• Hospital São Vicente de Paulo (Osório)
• Hospital Viamão – Instituto de Cardiologia (Viamão)
• Hospital Vida e Saúde (Santa Rosa)
• Irmandade da Santa Casa de Caridade de São Gabriel (São Gabriel)
• Santa Casa de Alegrete (Alegrete)
• Santa Casa de Rio Grande (Rio Grande)
Comentários CORRIGIR TEXTO