Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Serviços

- Publicada em 13h10min, 30/07/2020. Atualizada em 17h12min, 30/07/2020.

Sindha pede por reabertura do comércio de bares e restaurantes em carta a Marchezan

Entidade ressalta o cumprimento com os protocolos de combate à pandemia de coronavírus

Entidade ressalta o cumprimento com os protocolos de combate à pandemia de coronavírus


LUIZA PRADO/JC
O Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha) persiste na tentativa de obter liberação gradual das operações de bares e restaurantes. Nesta quinta-feira (30), assinada pelo presidente do Sindha, Henry Chmelnitsky, uma carta foi endereçada ao prefeito Nelson Marchezan Júnior oficializando o pedido.
O Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha) persiste na tentativa de obter liberação gradual das operações de bares e restaurantes. Nesta quinta-feira (30), assinada pelo presidente do Sindha, Henry Chmelnitsky, uma carta foi endereçada ao prefeito Nelson Marchezan Júnior oficializando o pedido.
A entidade reitera no texto que "a falta de previsibilidade e a incerteza de decisões com a qual tivemos que conviver nos gerou um índice enorme de desemprego e falência das empresas". A carta ressalta o cumprimento com os protocolos de combate à pandemia.
"Precisamos de decisões imediatas e perspectivas de futuro que nos possibilitem operar e que esse retorno aconteça de forma responsável e sustentável, premissas que sempre priorizamos em cada fase deste período e que seguimos prontos para priorizá-las. O que nos faz ressaltar, inclusive, que este efeito “abre e fecha” nos causou prejuízos que custarão meses a fio para serem tratados. É um quadro extremamente lamentável", afirma o Sindha no documento.
Os empresários do setor também pedem à prefeitura a suspensão da cobrança do IPTU comercial na gastronomia, além de plano de parcelamento em 12 meses - a partir de Outubro de 2020 - e desconto extra de 5% aos empresários que efetuarem seus pagamentos em dia.
Comentários CORRIGIR TEXTO