Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Protesto

- Publicada em 15h49min, 20/07/2020. Atualizada em 20h52min, 20/07/2020.

Vans escolares fazem carreata em Porto Alegre para cobrar resposta do governo Leite sobre crédito

Protesto pede manifestação do governo estadual sobre ofício enviado em junho

Protesto pede manifestação do governo estadual sobre ofício enviado em junho


Carlos Villela/Especial/JC
Fernanda Soprana
Motoristas de vans escolares organizaram uma carreata nesta segunda-feira (20) para cobrar o governo do Rio Grande do Sul resposta à proposta de linha de crédito especial para atacar a queda de receita na pandemia. O setor está parado devido à suspensão das aulas presenciais e de atividade em educação infantil desde março. Não há previsão de data de retorno ainda. O protesto se deu no início desta tarde em Porto Alegre.
Motoristas de vans escolares organizaram uma carreata nesta segunda-feira (20) para cobrar o governo do Rio Grande do Sul resposta à proposta de linha de crédito especial para atacar a queda de receita na pandemia. O setor está parado devido à suspensão das aulas presenciais e de atividade em educação infantil desde março. Não há previsão de data de retorno ainda. O protesto se deu no início desta tarde em Porto Alegre.
O Sindicato dos Proprietários de Veículos do Transporte Escolar de Porto Alegre (Sintepa) também realizou uma carreata em junho. O grupo enviou dois ofícios às autoridades locais. O primeiro, endereçado ao gabinete do governador Eduardo Leite, pede por crédito para auxiliar os trabalhadores durante o período parado na pandemia. O segundo foi enviado à prefeitura, requisitando a suspensão da taxa de R$ 50,00 paga à Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC) quando operam.
Segundo o Sintepa, desta vez o grupo de manifestantes atua isoladamente. "O sindicato não está diretamente envolvido. Como não houve resposta produtiva das autoridades, entendemos que deve ter outro protesto, mas não do mesmo jeito", afirma o assessor Jaires Maciel.
De acordo com o governo estadual, o ofício foi encaminhado à Secretaria da Fazenda (Sefaz) para análise e manifestação. 
A EPTC registrou congestionamento na avenida Érico Veríssimo com a Azenha, em consequência à manifestação. Até as 15h30min, o trânsito segue lento na elevada da Conceição (sentido bairro-centro) e no acesso à avenida Mauá.
Comentários CORRIGIR TEXTO