Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

Alterada em 13h25min, 18/07/2020.

Vale do Rio Pardo entra com recurso contra bandeira vermelha

Prefeitos, secretários da Saúde e especialistas discutiram a situação em videoconferência

Prefeitos, secretários da Saúde e especialistas discutiram a situação em videoconferência


AMVARP/DIVULGAÇÃO/JC
Depois da divulgação do mapa prévia das bandeiras do distanciamento controlado no Rio Grand do Sul, regiões já de mobilizam para alterar a cor, buscando provar que a situação não exigiria mais restrições. É o caso dos municípios do Vale do Rio Pardo que vão ingressar com recurso contra a cor vermelha, segundo informação da Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp). 
Depois da divulgação do mapa prévia das bandeiras do distanciamento controlado no Rio Grand do Sul, regiões já de mobilizam para alterar a cor, buscando provar que a situação não exigiria mais restrições. É o caso dos municípios do Vale do Rio Pardo que vão ingressar com recurso contra a cor vermelha, segundo informação da Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp). 
Regiões podem questionar a situação no mapa até a manhã deste domingo (19). A entidade disse que prefeitos e secretários municipais de Saúde analisaram na manhã desta sábado (18) os indicadores juntamente com a 13ª Coordenadoria Regional de Saúde e a equipe técnica do Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale).
O que pesou na cor foi a variação de um dos indicadores. A região passou de cor amarela à preta em função dos quatro óbitos registrados na semana. O Gabinete de Crise do governo do Estado informou que a bandeira vermelha recai principalmente na situação da macrorregião dos Vales – que engloba ainda Lajeado e Cachoeira do Sul. 
"Faremos um movimento e articulação com as regiões de Lajeado e Cachoeira do Sul para um alinhamento no discurso e na produção do recurso. Uma bandeira vermelha complicaria ainda mais a já difícil situação econômica das comunidades. Somos uma das poucas no Estado que ainda não teve de enfrentar isso", afirmou o prefeito de Candelária e presidente da Amvarp, Paulo Butzge.
O médico infectologista Marcelo Carneiro fez uma alerta para os casos de Covid-19 em instituições de Longa Permanência para Idosos (LPI). Segundo ele, a região pode permanecer com bandeira vermelha por um longo período se os surtos e óbitos relacionados às casas geriátricas não diminuírem.
Comentários CORRIGIR TEXTO