Porto Alegre, sexta-feira, 26 de junho de 2020.
Dia Internacional de Combate às Drogas.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 26 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

26/06/2020 - 15h22min. Alterada em 26/06 às 15h25min

Vacinação de crianças e gestantes segue abaixo de 50% da meta em Porto Alegre

Vacina não protege contrao coronavírus, mas evita complicações causadas pelos vírus influenza

Vacina não protege contrao coronavírus, mas evita complicações causadas pelos vírus influenza


ALLAN STEPHEN/AFP/JC
A poucos dias do término da campanha nacional de vacinação contra a gripe, prevista para se encerrar nesta terça-feira (30), alguns grupos prioritários ainda não alcançaram 50% da meta mínima estabelecida pelo Ministério da Saúde em Porto Alegre.
A poucos dias do término da campanha nacional de vacinação contra a gripe, prevista para se encerrar nesta terça-feira (30), alguns grupos prioritários ainda não alcançaram 50% da meta mínima estabelecida pelo Ministério da Saúde em Porto Alegre.
A chamada vale para crianças de seis meses a menores de seis anos, que receberam 39.457 doses (48,60% da meta), gestantes (5.305 ou 42,45% da meta) e puérperas (mulheres que tiveram bebês há até 45 dias), nas quais foram aplicadas 900 doses (45% da meta). O objetivo da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é imunizar 81,2 mil crianças na faixa etária indicada na campanha, 12,5 mil gestantes e 2 mil puérperas.
Já pessoas com doenças crônicas como diabetes, asma, hipertensão e cardiopatias receberam 129.354 doses da vacina contra gripe em Porto Alegre. Isso equivale a 74,77% da meta mínima estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é imunizar 173 mil pessoas - ou seja, 90% da estimativa populacional desse grupo.
As equipes da prefeitura trabalham para ampliar a imunização, sendo que as unidades de saúde estão preparadas para o atendimento, com a separação das pessoas que chegam para vacinação daquelas que buscam o serviço por quadro de doença, de acordo com orientações e protocolos de distanciamento e higienização do Ministério da Saúde. O uso de máscara é recomendado a adultos e crianças a partir de dois anos de idade.
Conforme registros do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) de quinta-feira, foram aplicadas 628,545 mil doses no público-alvo geral da campanha, que corresponde a 87,90% da meta total de 715 mil pessoas na Capital. Com relação a pessoas da população em geral, cuja vacinação teve início no dia 15 de junho, foram aplicadas 39.095 doses.
A vacina não protege contra o novo coronavírus, mas evita complicações causadas pelos vírus influenza A H1N1, influenza A H3N2 e influenza B linhagem B/Victoria, que podem levar o paciente a internações hospitalares. Para evitar aglomerações, são mais de 100 locais disponíveis, que podem ser conferidos através do link encurtador.com.br/gxBR1. Crianças devem ser imunizadas nas unidades de saúde para manter o acompanhamento do calendário e as vacinas de rotina.
Comentários