Porto Alegre, sexta-feira, 19 de junho de 2020.
Dia do Cinema Brasileiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 19 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Educação

Notícia da edição impressa de 19/06/2020. Alterada em 18/06 às 21h20min

Capital terá de apresentar plano para a educação

TCE-RS cobrou apresentação de medidas da prefeitura para o ensino municipal

TCE-RS cobrou apresentação de medidas da prefeitura para o ensino municipal


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Gabriela Porto Alegre
O Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul (TCE-RS) determinou, na terça-feira, que a prefeitura de Porto Alegre apresente, em 15 dias, um plano de ação para a área da educação. De acordo com o TCE-RS, o documento deve expor um programa de atividades de ensino remoto, em virtude da pandemia do novo coronavírus, e um planejamento para a retomada das aulas presenciais na rede municipal.
O Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul (TCE-RS) determinou, na terça-feira, que a prefeitura de Porto Alegre apresente, em 15 dias, um plano de ação para a área da educação. De acordo com o TCE-RS, o documento deve expor um programa de atividades de ensino remoto, em virtude da pandemia do novo coronavírus, e um planejamento para a retomada das aulas presenciais na rede municipal.
Conforme o documento, de autoria do conselheiro Cezar Miola, Porto Alegre também deverá apresentar mais informações sobre a plataforma digital escolhida pela prefeitura para as aulas dos estudantes e sobre o fornecimento de merenda escolar durante o período de fechamento das escolas. A determinação, segundo o tribunal, surge dias após o município ter informado que, até 2 de junho, o envio das atividades escolares para os alunos estava sendo enviado de modo independente pelas escolas, o que, para Miola, deveria ser uma função coordenada e gerenciada pela Secretaria Municipal de Educação (Smed).
Entre as medidas alternativas às atividades enviadas de modo independente pelas escolas, Miola cita uma série de iniciativas já adotadas por outras redes de ensino para que os alunos continuem recebendo conteúdo de forma ordenada, como TV, rádio, canais digitais, impressos ou através de pendrive.
Questionada sobre a recomendação, a Smed informou que está trabalhando para que as etapas de implementação das atividades retomadas sejam tão logo concluídas. "Em breve, os alunos passarão a receber atividades e estabelecer o vínculo com seus professores. O processo de implantação da educação remota passa pela inclusão de cerca de 2,5 mil professores e 40 mil alunos na plataforma. Neste momento, as escolas estão sendo capacitadas para o início do uso, que poderá contar, ainda, com plataformas de conteúdo que ofereceram seus serviços gratuitamente aos alunos", disse em nota.
Comentários