Porto Alegre, domingo, 19 de julho de 2020.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 19 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

INFRAESTRUTURA

05/06/2020 - 18h53min. Alterada em 10/06 às 20h09min

Porto Alegre terá investimento de mais de R$ 136,7 milhões em recuperação asfáltica

Projeto irá recuperar pavimentação de 66 ruas de alta circulação de veículos

Projeto irá recuperar pavimentação de 66 ruas de alta circulação de veículos


PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
Fernanda Crancio
Com a publicação, nesta sexta-feira (5), de sete editais para a licitação de R$ 113 milhões em obras de recuperação asfáltica em Porto Alegre, a prefeitura avança em uma demanda importante para a mobilidade dos porto-alegrenses. Segundo o Executivo municipal, com as demais obras viárias já em execução- dois lotes no valor de R$ 23 milhões-, a capital gaúcha terá um total de R$ 136,77 milhões em investimentos para a requalificação asfáltica de vias, o maior montante aplicado em duas décadas na reforma estrutural de ruas. O anúncio foi feito por meio de videoconferência, que teve como destaque a participação do prefeito Nelson Marchezan diretamente da avenida Ipiranga, de onde caminhou, abaixo de chuva, para mostrar in loco os buracos e desníveis do asfalto ao longo da via e máquinas que já trabalhavam no projeto.
Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim), Marcelo Gazen, mais de 80% das vias da Capital estão com malha viária vencida, o que reforça a urgência do investimento, iniciado neste ano e que será estendido. "É o maior projeto da história de Porto Alegre na requalificação asfáltica, um grande investimento que está sendo feito. Nos últimos 20 anos, Porto Alegre não investiu tanto na reforma estrutural de vias", destacou.
Serão 66 ruas de grande circulação que receberão o investimento, selecionadas mediante estudo feito em 280 logradouros da cidade, onde circulam 90% dos veículos, e englobam todas as regiões da cidade. O projeto, segundo o prefeito Nelson Marchezan Júnior, também ajudará a sanar um problema histórico da cidade, que é a drenagem das ruas. "Hoje para nós é um dia importante, porque resolvemos um problema de muito tempo, que é a qualidade das nossas ruas, e que impacta na autoestima da população e na imagem da cidade. Não temos a expectativa de resolver todos os problemas, ma suma boa parte deles, por um longo período", disse o prefeito.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/06/05/206x137/1_image-9073122.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5edabb321be47', 'cd_midia':9073122, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/06/05/image-9073122.jpg', 'ds_midia': 'Marchezan caminhou pela avenida Ipiranga para mostrar as condições da atual pavimentação', 'ds_midia_credi': 'REPRODUÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Marchezan caminhou pela avenida Ipiranga para mostrar as condições da atual pavimentação', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '449', 'align': 'Left'}
Marchezan caminhou pela avenida Ipiranga para mostrar as condições da atual pavimentação. Fot
O material utilizado no amplo projeto de recuperação asfáltica é o polímero, uma mistura de plástico e borracha, considerado ideal para melhorar a elasticidade do asfalto e evitar deformações, além de ter uma vida útil maior. Além da recuperação e do recapeamento asfáltico, serão feitas limpezas nas bocas de lobo, drenagens, rampas de acesso e melhorias nas paradas de ônibus. Dois lotes de obras já estão ocorrendo em vias de alto fluxo de veículos, como as avenidas Ipiranga, Bento Gonçalves, Antônio de Carvalho e Protásio Alves.
 > Confira a cobertura completa da pandemia de coronavírus
Marchezan lembou que a "operação tapa buracos" começou no início de 2019 e complementa o plano agora em execução. "É um volume robusto, sem precedentes na cidade, e que irá colaborar para se ter uma visão de futuro para Porto Alegre", completou o prefeito.
O chefe do Executivo municipal fez questão de destacar ainda que as melhorias só serão possíveis graças à recuperação de crédito da prefeitura junto às instituições financeiras, após as reformas estruturais realizadas. O montante investido no projeto (R$ 137,77 milhões) resulta de financiamentos de R$ 103,3 milhões para a requalificação estrutural (camadas mais profundas do pavimento) das vias- R$ 23,8 milhões da CAF; R$ 40,75 milhões do Banco do Brasil, e R$ 38,65 milhões da Caixa Econômica Federal. Outros R$ 33,47 milhões são de investimentos em requalificação funcional (camada mais superficial do pavimento) das ruas, sendo R$ 27,26 milhões da Caixa e R$ 6,2 milhões do Banco do Brasil.
Comentários CORRIGIR TEXTO

EXPEDIENTE

2020