Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 20h56min, 31/05/2020.

Petrópolis, Bela Vista e Rio Branco são os bairros mais afetados por Covid-19 em Porto Alegre

Informação por regiões ajuda na elaboração de ações contra a doença

Informação por regiões ajuda na elaboração de ações contra a doença


MARCO QUINTANA/JC
Yasmim Girardi
Informação é fundamental para o combate de uma pandemia como a do novo conronavírus. Em razão disso a divulgação dos dados por bairros em Porto Alegre iniciada recentemente pela prefeitura é apontada como positiva por especialistas na área da saúde. A partir desta segunda-feira (1), novo mapa do distanciamento controlado entra em vigor, e a Capital mantém a cor laranja.
Informação é fundamental para o combate de uma pandemia como a do novo conronavírus. Em razão disso a divulgação dos dados por bairros em Porto Alegre iniciada recentemente pela prefeitura é apontada como positiva por especialistas na área da saúde. A partir desta segunda-feira (1), novo mapa do distanciamento controlado entra em vigor, e a Capital mantém a cor laranja.
Petrópolis, Bela Vista e Rio Branco são os três bairros de Porto Alegre com o maior número de casos de infectados pelo novo coronavírus. Segundo o mapa da prefeitura que apresenta a disseminação da pandemia por regiões da cidade, esses bairros contam com, respectivamente, 53, 39 e 36 moradores contaminados.
O painel conta com informações relativas ao dia 27 de maio. Depois deles, o ranking dos bairros mais afetados conta com a presença do bairro Partenon, com 34 casos, e do bairro Sarandi, com 33.
Os dados fazem parte de um levantamento divulgado pela Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde, da prefeitura de Porto Alegre. Os números demonstram que o coronavírus está sendo propagado rapidamente em alguns bairros, enquanto outros não apresentam aumento no número de casos. Uma semana antes, o mesmo levantamento apontava 43 casos confirmados da doença no bairro Petrópolis, 38 no bairro Bela Vista e 29 no Rio Branco.
Além de garantir uma gestão mais transparente da pandemia, a decisão de divulgar as informações regionalizadas pode ajudar efetivamente no combate ao vírus. De acordo com o médico do Serviço de Medicina Interna Hospital de Clínicas de Porto Alegre e epidemiologista André Ferreira Azevedo Da Silva, é importante a divulgação para que se possa, principalmente, capacitar as unidades de saúde de cada bairro e saber quais são as unidades prioritárias, que devem estar melhor aparelhadas para receber os pacientes.
"O primeiro ponto seria para planejar a distribuição dos recursos de saúde, e o segundo ponto seria para intensificar medidas preventivas nesses lugares. Não necessariamente medidas baseadas em estratégias proibitivas, mas sim educativas", explica. Ele sugere que esses dados podem servir para alertar os moradores.
"Por exemplo, embora todos tenham que seguir as recomendações, podemos falar para o cidadão do bairro Petrópolis que ele deve ter mais cuidado ainda com o uso de máscara, álcool gel e distanciamento social", complementa o epidemiologista, que também trabalha na HTAnalyze Consultoria
Ainda que o vírus pareça estar mais presente em bairros como Moinhos de Vento, com 27 casos, do que em bairros mais periféricos, como Restinga, com 11 casos, o epidemiologista acredita que a densidade demográfica deva ser levada em consideração para compreender esses números, mas que o indicador socioeconômico possa ser uma explicação.
"Para fazer uma comparação justa, precisaríamos ter um indicador ajustado para fazer o número de casos dividido pela população do bairro. Se ainda assim tivermos um índice mais alto nos bairros considerados por algum indicador como um bairro de nível socioeconômico elevado, existe a percepção de que essa é uma infecção que entrou, em termos socioeconômicos, de cima para baixo", explica.
Já no ranking de menos afetados pelo coronavírus, estão os bairros Anchieta, Lami, Extrema, São Caetano, Vila Conceição, Pedra Redonda e Jardim Isabel com zero casos confirmados. Do levantamento da semana anterior para a passada, a única mudança na lista dos bairros com nenhum infectado foi a saída do bairro Farroupilha da lista, que agora conta com o total de três moradores infectados.
Comentários CORRIGIR TEXTO