Porto Alegre, sábado, 16 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 16 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

gente

Alterada em 16/05 às 14h00min

Jornalista Luiz Maklouf Carvalho morre aos 67 anos

Com passagem por diversos veículos, trabalhou no O Estado de S. Paulo nos últimos anos

Com passagem por diversos veículos, trabalhou no O Estado de S. Paulo nos últimos anos


REPRODUÇÃO/FACEBOOCK/JC
Folhapress
O jornalista Luiz Maklouf Carvalho morreu na manhã deste sábado (16), em São Paulo, aos 67 anos, em decorrência de um câncer de pulmão.
O jornalista Luiz Maklouf Carvalho morreu na manhã deste sábado (16), em São Paulo, aos 67 anos, em decorrência de um câncer de pulmão.
Um dos principais jornalistas do país, era autor de livros como Mulheres que Foram À Luta Armada e Já Vi Esse Filme: Reportagens e Polêmicas Sobre Lula e o PT (1985-2005). Com passagem por diversos veículos, trabalhou no jornal O Estado de S. Paulo nos últimos anos.
Seu último livro foi O Cadete e o Capitão, lançado pela editora Todavia no ano passado, no qual detalha o processo judicial a que o hoje presidente Jair Bolsonaro respondeu no final dos anos 1980 a partir de uma reportagem da revista Veja que o acusou de ter elaborado um plano terrorista de explodir bombas em unidades militares. Ele acabou absolvido em 16 de junho de 1988.
O jornalista planejava um escrever um livro-reportagem sobre o envolvido da ex-presidente Dilma Rousseff na luta armada.
O velório do jornalista será no cemitério de Vila Mariana (r. Batista Caetano, 300) às 15h. O enterro será às 16h,
Ele deixa a mulher, três filhos e três netos.
Comentários