Porto Alegre, segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Trânsito

- Publicada em 19h50min, 13/04/2020. Atualizada em 19h50min, 13/04/2020.

Redução de tráfego por coronavírus provoca queda de 28% de acidentes em rodovias federais

Também houve queda no número de roubo de cargas e de roubo a ônibus

Também houve queda no número de roubo de cargas e de roubo a ônibus


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A diminuição de tráfego em rodovias federais devido à pandemia do novo coronavírus provocou uma queda no número de acidentes e mortes em rodovias federais.
A diminuição de tráfego em rodovias federais devido à pandemia do novo coronavírus provocou uma queda no número de acidentes e mortes em rodovias federais.
De acordo com o ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, houve uma redução de 28% de acidentes e de 7% das mortes entre 11 de março e 12 de fevereiro deste ano em comparação com período equivalente em 2019.
A pandemia do novo coronavírus foi declarada em 11 de março pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
"O dado positivo, pelo menos um efeito lateral, que é positivo, é uma decorrência da diminuição do transporte rodoviário dos acidentes e dos óbitos no âmbito das rodovias federais", afirmou Moro em entrevista coletiva nesta segunda-feira (13) no Palácio do Planalto.
O ministro explicou que os dados são da Polícia Rodoviária Federal, subordinada ao Ministério da Justiça e da Segurança Pública.
O órgão tem feito escolta de equipamentos de saúde para atender a demanda gerada pela crise, além de monitorar o funcionamento das rodovias.
Moro disse ainda que, deste percentual, a diminuição de acidentes graves foi de 23% no intervalo e o número de feriados caiu 30%.
Também houve queda no número de roubo de cargas (19%) e de roubo a ônibus (49%).
"A pandemia gera dificuldades logísticas a esses próprios criminosos também", comentou o ministro.
Comentários CORRIGIR TEXTO