Porto Alegre, sexta-feira, 20 de março de 2020.
Início do Outono.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Transporte

Notícia da edição impressa de 20/03/2020. Alterada em 19/03 às 20h55min

Empresas de ônibus adotam tabela de verão, e prefeitura aciona o MP-RS

Empresas alegam que medida é necessária para cumprir recomendação da prefeitura

Empresas alegam que medida é necessária para cumprir recomendação da prefeitura


LUIZA PRADO/JC
A prefeitura de Porto Alegre acionou ontem o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) para que seja investigada a adoção da tabela de verão no transporte coletivo por ônibus na cidade por algumas empresas que operam o sistema. O prefeito Nelson Marchezan Junior se reuniu nesta quinta-feira com o procurador-geral de Justiça Fabiano Dallazen para tratar da abertura de investigação.
A prefeitura de Porto Alegre acionou ontem o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) para que seja investigada a adoção da tabela de verão no transporte coletivo por ônibus na cidade por algumas empresas que operam o sistema. O prefeito Nelson Marchezan Junior se reuniu nesta quinta-feira com o procurador-geral de Justiça Fabiano Dallazen para tratar da abertura de investigação.
"Vamos buscar informações e investigar o que de fato ocorreu e as razões que levaram essas empresas a adotarem tais medidas", afirmou Dallazen. Ele espera a documentação para ter mais elementos. "Se essa atitude de botar mais pessoas circulando dentro dos veículos e deixar mais gente aguardando nas paradas elevou o risco dos usuários ao coronavírus, isso pode configurar crime de exposição ao perigo", analisa.
A EPTC garante não autorizou a mudança. A diretora do Procon, Fernanda Borges, prometeu notificar as empresas na tarde desta quinta-feira. "Darei 24h para que me forneçam as explicações e as planilhas. Com esta documentação, vamos analisar e definir o que será feito", diz.
Conforme a Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) afirmou, em nota, que a redução de 9% nas viagens foi tratada com a EPTC e se deu para cumprir o decreto municipal que recomenda que funcionários com 60 anos ou mais permaneçam em casa. Em razão disso, seria necessário alterar a tabela horária, visto que há 500 trabalhadores que no perfil. "A opção entendida como viável seria a realização da tabela de verão, que segue um padrão, e não retiradas aleatórias", diz a entidade. Conforme a ATP, na quarta-feira, houve uma redução de 40% no número de passageiros.