Porto Alegre, quarta-feira, 11 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Alterada em 11/03 às 19h18min

Coronavírus: Governo gaúcho orienta escolas sobre como prevenir a doença

Entre as recomendações contra o coronavírus para as escolas está o uso de álcool em gel

Entre as recomendações contra o coronavírus para as escolas está o uso de álcool em gel


FREDY VIEIRA/JC
Gabriela Porto Alegre
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nesta quarta-feira (11), em vídeo publicado em rede social, que as instituições de ensino precisam preparar medidas emergenciais devido à transmissão do novo coronavírus. O ministro sugeriu que as instituições pensassem em um plano de aulas remotas, caso seja necessário suspender as atividades.
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nesta quarta-feira (11), em vídeo publicado em rede social, que as instituições de ensino precisam preparar medidas emergenciais devido à transmissão do novo coronavírus. O ministro sugeriu que as instituições pensassem em um plano de aulas remotas, caso seja necessário suspender as atividades.
No Rio Grande do Sul, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc), em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde (SES), emitiu uma orientação conjunta para escolas públicas e privadas, com o objetivo de divulgar medidas de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19) no ambiente escolar. Entre as recomendações, as pastas orientam medidas individuais e institucionais, como o uso de álcool em gel, desinfecção das superfícies das salas de aula e a desativação temporária de bebedouros. Todas essas medidas fazem parte de um pacote que se destina a prevenir a disseminação do vírus nas escolas.
O material, conforme as secretarias, traz orientações principalmente no que diz respeito à higiene das mãos e etiqueta respiratória, que é o conjunto de atitudes que devem ser tomadas ao tossir ou espirrar. “As recomendações são fundamentais para ambientes escolares, de qualquer nível de ensino, tendo em vista que as escolas são ambientes fechados, com grande número de pessoas e com realização frequente de atividades coletivas. Além do novo coronavírus, as medidas são importantes ferramentas para prevenir outras doenças de transmissão respiratória, como a gripe (influenza), o sarampo e a meningite bacteriana”, afirmou a Seduc.
As medidas para quem frequenta esses ambientes, independente se aluno, professor ou funcionário são higienizar as mãos com água e sabão antes das refeições, após tossir, espirrar ou usar o banheiro. Quando a mão estiver com alguma sujeira visível, sugere-se o uso de álcool em gel, que serve como um complemento à higienização. Além disso, limpeza e desinfecção das superfícies das salas de aula e demais espaços escolares são fundamentais. No que diz respeito aos equipamentos de consumo de água que tenham contato direto com a boca, como torneiras e bebedouros, tanto a Seduc quanto a SES orientam que sejam evitados.
De acordo com o presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS), Bruno Eizerik, a ideia é que as instituições de ensino privado adotem medidas de prevenção no ambiente escolar e trabalhem a conscientização junto aos estudantes. “Simples ações podem ser fundamentais para prevenir infecções respiratórias e demais doenças, principalmente no ambiente escolar”. Eizerik ainda reforçou a importância de os casos suspeitos serem notificados aos órgãos competentes. “Qualquer caso suspeito, independente se o aluno estiver exposto a locais de maior incidência do vírus, ou não, deve ser informado ao Centro Estadual de Vigilância em Saúde, através dos contatos Disque 150 ou e-mail: coers@saude.rs.gov.br”.