Porto Alegre, segunda-feira, 09 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

saúde

09/03/2020 - 14h57min. Alterada em 09/03 às 14h57min

'Essa seria a primeira pandemia da história passível de ser controlada', diz OMS

Dos mais de 100 países afetados pelo surto, 43 têm menos de 100 casos

Dos mais de 100 países afetados pelo surto, 43 têm menos de 100 casos


PHILIPPE DESMAZES/AFP/JC
A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu que, após o número de países com casos de coronavírus ultrapassar 100, a ameaça de uma pandemia se tornou "muito real". No entanto, a entidade não alterou a classificação do surto, porque ainda há sinais de que o vírus é controlável.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu que, após o número de países com casos de coronavírus ultrapassar 100, a ameaça de uma pandemia se tornou "muito real". No entanto, a entidade não alterou a classificação do surto, porque ainda há sinais de que o vírus é controlável.
"Essa seria a primeira pandemia da história passível de ser controlada", disse o diretor-geral do órgão, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante coletiva de imprensa, em Genebra, na Suíça. "Ainda podemos desacelerar o avanço do coronavírus de forma significativa", acrescentou.
Segundo Tedros, entre todos os casos da doença, 93% foram registrados em quatro países: China, Coreia do Sul, Itália e Irã. "É problemático que tantos países e tantas pessoas tenham sido atingidos de forma tão rápida", destacou, acrescentando que Japão, China, Itália, Coreia do Sul e Estados Unidos ativaram medidas de emergência.
O médico etíope revelou, ainda, que cerca de US$ 300 milhões foram doados à OMS para a luta contra a doença. Segundo ele, alguns países, estão demonstrando sucesso no controle da epidemia. "A China está colocando a epidemia sob controle e há um declínio no número de casos na Coreia do Sul", exemplificou.
O diretor-geral disse que alguns países estão impondo restrições de exportações para materiais médicos e que a entidade está monitorando a situação.
Com base em dados de 80 mil casos de coronavírus na China, a OMS concluiu que cerca de 80% das pessoas diagnosticadas com a doença vão se recuperar. "Mais de 58 mil pacientes no país se recuperaram", disse a líder técnica para coronavírus da entidade, Maria Van Kerkhove, durante a entrevista coletiva.
Segundo Maria, a taxa de mortalidade é maior entre pessoas com mais de 80 anos, chegando a cerca de 20%.
A entidade informou ainda que, dos mais de 100 países afetados pelo surto, 43 têm menos de 100 casos e 79 têm menos de 1000.