Porto Alegre, segunda-feira, 09 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Ensino superior

09/03/2020 - 14h17min. Alterada em 09/03 às 14h16min

Capes adia cadastro para novo modelo de concessão de bolsas de estudo

Autarquia afirma que prazo será aberto nas próximas semanas

Autarquia afirma que prazo será aberto nas próximas semanas


CRISTINE PIRES/ESPECIAL/JC
Agência Brasil
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) adiou o início do cadastro de instituições de ensino superior para o novo modelo de concessão de bolsas de mestrado e doutorado. Em nota, a autarquia afirma que o prazo será aberto nas “próximas semanas”. Inicialmente, o cadastro teria início na última sexta-feira (6).
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) adiou o início do cadastro de instituições de ensino superior para o novo modelo de concessão de bolsas de mestrado e doutorado. Em nota, a autarquia afirma que o prazo será aberto nas “próximas semanas”. Inicialmente, o cadastro teria início na última sexta-feira (6).
De acordo com a Capes, as regras para concessão de bolsas de mestrado e doutorado “terão uma maior contribuição da comunidade acadêmica” e, por isso, a autarquia decidiu adiar o cadastro.
O novo modelo de distribuição de bolsas de estudo foi anunciado no final do mês passado. Esta é a primeira vez que a Capes estabelece regras unificadas para a concessão do benefício.
Para saber quantas bolsas cada curso terá direito, serão levados em consideração no cálculo a nota obtida pelo curso em avaliações conduzidas pela Capes, o número de estudantes concluintes ou titulados por curso e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) da região onde o curso é oferecido.
Os estudantes que já têm bolsas de estudo não serão atingidos. As regras valem para as vagas que estão desocupadas ou cuja previsão de conclusão de pesquisa seja este ano. Atualmente, os bolsistas de mestrado recebem, por mês, R$ 1,5 mil e os de doutorado, R$ 2,2 mil.