Porto Alegre, sábado, 07 de março de 2020.
Dia do fuzileiro naval.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

SAÚDE

07/03/2020 - 17h46min. Alterada em 07/03 às 17h46min

Paciente com suspeita de coronavírus em Brasília está em estado grave, diz boletim

O Globo
Uma mulher de 52 anos internada em Brasília com suspeita do novo coronavírus está em estado grave devido ao fato de ser portadora de uma "doença crônica preexistente", de acordo com boletim médico divulgado na manhã deste sábado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal.
Uma mulher de 52 anos internada em Brasília com suspeita do novo coronavírus está em estado grave devido ao fato de ser portadora de uma "doença crônica preexistente", de acordo com boletim médico divulgado na manhã deste sábado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal.
Um exame inicial detectou a presença do Sars-CoV-2, que causa o Covid-19, mas a Secretaria de Saúde ainda aguarda o resultado de uma contraprova para confirmar a doença.
Segundo o boletim, a mulher apresenta "Síndrome respiratória aguda severa" e é "portadora de doença crônica preexistente". O boletim diz ainda que ela está recebendo cuidados intensivos.
A paciente está em isolamento na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Regional da Asa Norte, em Brasília. Ela ainda teve febre e tosse.
A mulher chegou à unidade transportada de maca com uma máscara de oxigênio. A equipe de médicos e enfermeiros que fez o transporte usava uma vestimenta de proteção.
Segundo a Secretaria de Saúde, a mulher esteve no Reino Unido e na Suíça. Ela voltou à capital em 26 de fevereiro, "quando começou a sentir febre, tosse e dificuldade de respirar", apontou o órgão.
Na última quinta-feira, o infectologista Eduardo Hage, da Secretaria de Saúde do DF, afirmou que ela havia tido complicações iniciais, depois melhorou. No entanto, voltou a ter problemas.
O laboratório de referência mais próximo para fazer a contraprova e confirmar o caso é o Laboratório Central (Lacen) de Goiás, mas o teste será feito pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. Segundo a secretaria, fazer o teste no laboratório paulista vai permitir ter o resultado mais rapidamente. A amostra para a contraprova foi enviada na sexta-feira. Com informações da agência O Globo.