Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

saúde

11/02/2020 - 17h36min. Alterada em 11/02 às 17h37min

Exames descartam coronavírus em brasileiros repatriados da China

Em todos os 58, o resultado foi negativo.

Em todos os 58, o resultado foi negativo.


ARTE/FOTO GOVERNO CHINÊS/DIVULGAÇÃO/JC
Exames de sangue feitos nos 58 brasileiros que estão em quarentena em Anápolis (GO) descartaram em todos a presença do coronavírus. Os 34 brasileiros que viviam na China e os 24 tripulantes e profissionais de saúde e de comunicação que acompanharam a viagem de retorno dos repatriados tiveram amostras coletadas no domingo (9), dia em que chegaram ao Brasil e os exames foram concluídos nesta terça-feira (11).
Exames de sangue feitos nos 58 brasileiros que estão em quarentena em Anápolis (GO) descartaram em todos a presença do coronavírus. Os 34 brasileiros que viviam na China e os 24 tripulantes e profissionais de saúde e de comunicação que acompanharam a viagem de retorno dos repatriados tiveram amostras coletadas no domingo (9), dia em que chegaram ao Brasil e os exames foram concluídos nesta terça-feira (11).
> Acesse tudo sobre o coronavírus, o que é, contágio, prevenção e situação pelo mundo e no Brasil
Em entrevista coletiva nesta tarde, o ministério explicou que foi feito o exame RT-PCR, específico para o coronavírus que provoca a epidemia na China e que identifica a presença do RNA viral. Em todos os 58, o resultado foi negativo.
O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, disse que a pasta já emitiu uma recomendação ao Ministério da Defesa, que coordena a Operação Regresso, mas não quis antecipá-la à imprensa. O site da pasta, porém, logo após a coletiva, chegou a publicar que os 24 profissionais serão liberados da quarentena, mas continuarão sendo monitorados.