Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

04/01/2020 - 16h05min. Alterada em 04/01 às 16h05min

Após chuvas fortes, represa se rompe em cidade goiana; não há feridos

Uma represa se rompeu neste sábado (4), em Pontalina, no centro de Goiás. A estrutura, localizada em uma área particular, sofreu colapso após fortes chuvas terem atingido o município desde a noite de sexta-feira (3). Não há registros de feridos.
Uma represa se rompeu neste sábado (4), em Pontalina, no centro de Goiás. A estrutura, localizada em uma área particular, sofreu colapso após fortes chuvas terem atingido o município desde a noite de sexta-feira (3). Não há registros de feridos.
Por meio de sua página no Facebook, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Pontalina alertou os moradores sobre o risco de outras represas se romperem e pediu que as pessoas que moram na região deixem os locais próximos a essas represas para evitar acidentes.
Em nota, a Companhia de Abastecimento de Água de Goiás (Saneago) informou que o transbordamento da represa provocou transtornos no esgotamento sanitário do município. "Estação elevatória final de esgoto e poços de visita foram danificados", disse a empresa.
Segundo a Saneago, a chuva causou uma inundação "de cinco metros" na área de captação de água de Pontalina. De acordo com a empresa, a água deixou motores, quadro de comando e uma série de outros equipamentos submersos.
A empresa disse que deslocou uma força tarefa para monitorar a situação dos sistemas de abastecimento e esgotamento sanitário. "Técnicos aguardam a diminuição do volume de água para, então, avaliar a condição de todos os equipamentos e executar os reparos necessários para a normalização do sistema", disse a empresa que pediu aos moradores um consumo "consciente das reservas domiciliares de água tratada".
A reportagem da Agência Brasil tentou contato com a Secretaria de Estado e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e o Corpo de Bombeiros de Goiás para obter informações sobre o motivo do rompimento da represa, danos ambientais e a quantidade de pessoas afetadas, mas, até a publicação da matéria, não obteve retorno.
Agência Brasil
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia