Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de dezembro de 2019.
Dia Internacional do Migrante.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Serviços

Alterada em 18/12 às 15h07min

Biblioteca Nacional deixa de fazer o ISBN de livros

Receio é que os valores para obtenção do ISBN aumentem e impactem no orçamento das editoras

Receio é que os valores para obtenção do ISBN aumentem e impactem no orçamento das editoras


CLAITON DORNELLES /JC
A partir de março do ano que vem, o ISBN (International Standard Book Number) deixa de ser concedido pela Biblioteca Nacional e passa a ser um serviço oferecido pela CBL, a Câmara Brasileira do Livro - na prática, deixa de ser fornecido pelo serviço público e passa para a iniciativa privada. A mudança no serviço foi anunciada nesta quarta-feira (18).
A partir de março do ano que vem, o ISBN (International Standard Book Number) deixa de ser concedido pela Biblioteca Nacional e passa a ser um serviço oferecido pela CBL, a Câmara Brasileira do Livro - na prática, deixa de ser fornecido pelo serviço público e passa para a iniciativa privada. A mudança no serviço foi anunciada nesta quarta-feira (18).
O ISBN é um registro que identifica os livros publicados de acordo com o título, o autor, o país e a editora,como se fosse um RG de cada edição. O número deve ser obtido pelas editoras a cada publicação. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
O registro foi criado em 1967 e oficializado como norma internacional em 1972. No Brasil, ele passou a ser oferecido pela Biblioteca Nacional em parceria com a Fundação Miguel de Cervantes.
Segundo a nota divulgada pela Agência Internacional do ISBN, a Biblioteca Nacional seguirá fornecendo o ISBN até o dia 28 de fevereiro do ano que vem. A partir de 1º de março, a Câmara Brasileira do Livro assume o serviço em parceria com a plataforma alemã Metabooks. A taxa de emissão deve seguir a mesma: R$ 22,00 (com código de barras, R$ 36,00).
Mesmo assim, o anúncio deixou alguns editores e pessoas do mercado editorial preocupados. O receio é que, uma vez fora de uma instituição pública, os valores para obtenção do ISBN aumentem e impactem no orçamento das editoras.
A mudança vem duas semanas após a Biblioteca Nacional trocar seu presidente e Rafael Nogueira assumir o cargo. O contrato entre a instituição e a Agência Internacional do ISBN estava para ser renovado.
Folhapress
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia