Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 06 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

06/11/2019 - 18h27min. Alterada em 06/11 às 18h27min

Para Onyx, governo deve se empenhar para ampliar porte de arma para algumas categorias

"É evidente que nós vamos nos empenhar", afirmou o ministro da Casa Civil

"É evidente que nós vamos nos empenhar", afirmou o ministro da Casa Civil


EVARISTO SA/ AFP/JC
Um dia depois de sofrer uma derrota no plenário da Câmara, com a desidratação do projeto sobre armas, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o governo deve se empenhar para conseguir ampliar o porte para algumas categorias, como previa o inicialmente o projeto enviado pelo governo. "É evidente que nós vamos nos empenhar", afirmou.
Um dia depois de sofrer uma derrota no plenário da Câmara, com a desidratação do projeto sobre armas, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o governo deve se empenhar para conseguir ampliar o porte para algumas categorias, como previa o inicialmente o projeto enviado pelo governo. "É evidente que nós vamos nos empenhar", afirmou.
Na terça-feira (5), depois de uma série de tentativas de se aprovar a matéria em plenário, parlamentares fecharam um acordo para votar apenas partes do projeto que tratam de regras para Colecionadores, Atiradores e Caçadores (CACs), além de mudar penas de crimes com armas e outros temas. Foi retirada do texto qualquer possibilidade de estender porte e posse a outras categorias, como queria o governo. Agora, o Executivo deve enviar um novo texto à Câmara.
"Vou conversar sobre isso", disse Onyx sobre o novo projeto. "Eu sempre defendi, por exemplo, que vigilantes e seguranças tenham. O Estado reconhece que eles têm capacidade de porte no trabalho e não têm seu porte estendido para sua arma particular, isso é um absurdo", afirmou.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia