Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de outubro de 2019.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Meio Ambiente

Edição impressa de 09/10/2019. Alterada em 09/10 às 03h00min

Petrobras já recolheu 133 toneladas de óleo de praias do Nordeste

Petróleo cru se espalhou pelo litoral de nove estados brasileiros

Petróleo cru se espalhou pelo litoral de nove estados brasileiros


MARCOS RODRIGUES/ADEMAS/AFP/JC
Até segunda-feira, a Petrobras já havia recolhido 133 toneladas de resíduos contaminados pela mancha de óleo de origem indeterminada que atinge diversas praias do Nordeste do Brasil. Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o material é petróleo cru que, desde o dia 2 de setembro, se espalhou por nove estados (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe).
Até segunda-feira, a Petrobras já havia recolhido 133 toneladas de resíduos contaminados pela mancha de óleo de origem indeterminada que atinge diversas praias do Nordeste do Brasil. Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o material é petróleo cru que, desde o dia 2 de setembro, se espalhou por nove estados (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe).
Ontem, em uma audiência pública na Câmara dos Deputados, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse que análises confirmaram que a substância não provém da produção da estatal. Um inquérito da Polícia Federal investiga o caso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia