Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 21h19min, 12/09/2019. Atualizada em 21h19min, 12/09/2019.

Rio Grande do Sul já tem sete casos de sarampo, seis deles na Capital

Rede pública disponibiliza a vacina tríplice viral para a população de seis meses a 49 anos de idade

Rede pública disponibiliza a vacina tríplice viral para a população de seis meses a 49 anos de idade


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
Gabriela Porto Alegre
A Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgou, nesta quinta-feira, um balanço sobre os casos de sarampo no Rio Grande do Sul. Ao todo, sete ocorrências foram confirmadas nesta semana, sendo seis de pessoas residentes em Porto Alegre e uma em Dois Irmãos. As medidas de bloqueio, com vacinação dos contatos próximos, já foram realizadas. Em todos os casos, os infectados tiveram histórico de viagem a locais com circulação do vírus (São Paulo e Europa) ou alguma vinculação com quem viajou para esses lugares, por isso são considerados casos importados. Além dos sete confirmados, a SES e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Capital monitoram outros dez casos suspeitos.
A Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgou, nesta quinta-feira, um balanço sobre os casos de sarampo no Rio Grande do Sul. Ao todo, sete ocorrências foram confirmadas nesta semana, sendo seis de pessoas residentes em Porto Alegre e uma em Dois Irmãos. As medidas de bloqueio, com vacinação dos contatos próximos, já foram realizadas. Em todos os casos, os infectados tiveram histórico de viagem a locais com circulação do vírus (São Paulo e Europa) ou alguma vinculação com quem viajou para esses lugares, por isso são considerados casos importados. Além dos sete confirmados, a SES e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Capital monitoram outros dez casos suspeitos.
O primeiro registro no Estado foi de uma jovem de 18 anos, moradora de Porto Alegre, que em julho esteve na Itália e em São Paulo. Embora os sintomas tenham sido característicos de sarampo, este não foi o diagnóstico inicial. O caso só foi confirmado após outras três pessoas que tinham contato próximo com a jovem terem sido infectadas. Assim que houve a confirmação, a vigilância realizou uma ação de bloqueio, com a vacinação de 53 pessoas que tinham contato próximo com ela e que não haviam sido imunizadas. Dois homens, um de 21 e outro de 30 anos, também residentes na Capital, tiveram confirmação da doença após viagem a São Paulo. O mesmo ocorreu com um jovem de 21 anos, residente em Dois Irmãos.
Notícias sobre saúde são importantes para você?
Segundo a enfermeira Jana Ferrer, responsável pela vigilância do sarampo na Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da SMS, três vítimas tinham histórico completo de vacinação. "Quatro dessas pessoas tinham algum histórico de vacinação contra o sarampo, mas apenas três tinham a vacinação completa. Existe um percentual de 3% a 5% de pessoas que se vacinam e não fazem a soroconversão (produção de anticorpos em resposta ao antígeno). Isso acontece por fatores individuais ou do momento da aplicação, e acabam desenvolvendo e positivando o sarampo", explica.
O sarampo se apresenta em forma de febre, manchas vermelhas pelo corpo, associadas a tosse, coriza ou conjuntivite. A forma mais efetiva de prevenção, segundo Jana, é a vacinação. Para ser considerada imunizada, a pessoa precisa ter o registro em caderneta conforme esquema vacinal. A rede pública disponibiliza gratuitamente a tríplice viral para a população de seis meses a 49 anos de idade e para profissionais de saúde e demais envolvidos na assistência à saúde hospitalar. O estado de São Paulo, com a maior circulação do vírus no País, já registra 3.519 casos e três mortes.
Comentários CORRIGIR TEXTO