Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Educação

Edição impressa de 12/09/2019. Alterada em 12/09 às 03h00min

MEC desiste de cortar parte de bolsas de pesquisa

O Ministério da Educação (MEC) anunciou ontem que vai reativar 3.182 bolsas de pesquisa que haviam sido cortadas pelo governo Jair Bolsonaro neste ano. Na semana passada, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) havia anunciado um corte que atingiu 5.613 bolsas. Agora, o MEC reverteu o cancelamento de 3.182 bolsas. Os benefícios serão repassados para pesquisadores de programas com os maiores indicadores na avaliação da Capes, 5, 6 e 7, ainda neste ano.

Com a retomada dessas bolsas, o saldo de cortes na Capes no ano atinge 8.629 bolsas. Esse total representa 9% das 92.253 bolsas de mestrado e doutorado financiadas e representará um investimento de R$ 22,4 milhões neste ano. Para 2020, o MEC conseguiu incremento de R$ 600 milhões para o orçamento da Capes.

Segundo o presidente do órgão, Anderson Correia, o incremento de R$ 600 milhões vai garantir o pagamento das bolsas vigentes, incluindo as liberadas ontem. No entanto, não há recursos previstos para novos benefícios em 2020.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia