Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Violência

Edição impressa de 11/09/2019. Alterada em 11/09 às 03h00min

Mortes violentas no Rio Grande do Sul caíram 21% em 2018

O Rio Grande do Sul registrou 2.476 mortes violentas intencionais em 2018, uma redução de 21% em relação a 2017, quando o número chegou a 3.132. O total de 2018 é o menor desde 2013, quando houve 2.043 casos desse tipo. A diminuição de óbitos desse tipo é proporcionalmente maior do que a identificada em nível nacional - no Brasil, a queda foi de 10,8% no período.
O Rio Grande do Sul registrou 2.476 mortes violentas intencionais em 2018, uma redução de 21% em relação a 2017, quando o número chegou a 3.132. O total de 2018 é o menor desde 2013, quando houve 2.043 casos desse tipo. A diminuição de óbitos desse tipo é proporcionalmente maior do que a identificada em nível nacional - no Brasil, a queda foi de 10,8% no período.
Os dados fazem parte do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019, divulgado ontem pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. São consideradas mortes violentas intencionais homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Também são contabilizadas mortes de policiais civis e militares mortos e aquelas decorrentes de intervenção policial.
A taxa de mortes violentas para cada 100 mil habitantes chegou a 21,9 no Estado em 2018, enquanto em 2017 era de 27,7. Essa taxa também sofreu redução maior do que a brasileira, que caiu de 30,8 para 27,5. As maiores taxas estão em Roraima (66,6), no Amapá (57,9), no Rio Grande do Norte (55,4) e no Pará (54,6). Já as menores foram registradas em São Paulo (9,5), Santa Catarina (13,3), Minas Gerais (15,4) e no Distrito Federal (16,6).
Porto Alegre teve uma melhoria nos índices semelhante à estadual, com 19,6% menos mortes violentas intencionais em 2018, em comparação com 2017 - o número absoluto de vítimas caiu de 687 para 550 no período. As capitais com maior redução foram São Luiz (MA), com -37,4%, Florianópolis (SC), -33%, e Rio Branco (AC), -29,7%. Já as com maior acréscimo de mortes foram Boa Vista (RR), com 23,8%, Macapá (AP), 6,3% e Goiânia (GO), 3,7%.
Não houve, porém, só motivos de celebração entre as estatísticas apontadas pelo anuário - o Rio Grande do Sul registrou aumento de 40,9% no número de feminicídios (homicídios praticados contra mulheres por motivações baseadas em violência doméstica e/ou intrafamiliar). Entre 2017 e 2018, a quantidade de vítimas passou de 83 para 117. O percentual de homicídios com vítimas mulheres, entretanto, caiu 33% no período, de 305 para 205. No Brasil, o percentual de feminicídios aumentou 4% em 2018 e o de homicídios com vítimas do sexo feminino caiu 11,1%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia