Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de agosto de 2019.
Dia Internacional dos Povos Indígenas.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança pública

Edição impressa de 09/08/2019. Alterada em 08/08 às 21h38min

Rio Grande do Sul registra redução de homicídios nos primeiros 7 meses do ano

Ranolfo destaca que os 18 municípios mais violentos foram priorizados

Ranolfo destaca que os 18 municípios mais violentos foram priorizados


GUSTAVO MANSUR/PALÁCIO PIRATINI/JC
Isabella Sander
Em comparação com o período entre janeiro e julho de 2018, o Rio Grande do Sul registrou queda no número de mortes em 2019. Em apresentação dos indicadores de criminalidade realizada nesta quinta-feira, a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) apontou redução de 22,7% nas vítimas de homicídio e de 32,8% nos latrocínios. A quantidade de assassinatos, que caiu de 1.435 para 1.109, é a menor registrada desde 2011, enquanto o número de roubos seguidos de morte, que baixou de 58 para 39, é o mais baixo desde 2009.
Em comparação com o período entre janeiro e julho de 2018, o Rio Grande do Sul registrou queda no número de mortes em 2019. Em apresentação dos indicadores de criminalidade realizada nesta quinta-feira, a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) apontou redução de 22,7% nas vítimas de homicídio e de 32,8% nos latrocínios. A quantidade de assassinatos, que caiu de 1.435 para 1.109, é a menor registrada desde 2011, enquanto o número de roubos seguidos de morte, que baixou de 58 para 39, é o mais baixo desde 2009.
Em Porto Alegre, o índice de vítimas de homicídios diminuiu 44%, passando de 357 para 200 - o menor número dos últimos dez anos, conquista alcançada também entre os casos de latrocínio, que tiveram redução de 50%, passando de oito para quatro entre janeiro e julho de 2019, na comparação com o mesmo período de 2018. Grande parte dos crimes foi cometida nos 18 municípios prioritários no programa RS Seguro, que são palco de uma média de 73% das mortes violentas.
Notícias sobre segurança pública são importantes para você?
Alvorada, que foi relacionada como a sexta cidade mais violenta do Brasil no último Atlas da Violência (produzido com dados de 2017), também apresenta queda na taxa de homicídios. No acumulado entre janeiro e julho, o município registrou 34% menos assassinatos, passando de 96 mortes, em 2018, para 63 neste ano - média de nove óbitos por mês que, caso mantida, fará a cidade fechar o ano com 108 vítimas, um índice de 51,6 homicídios para cada 100 mil habitantes. A taxa seria inferior à de 2017, quando houve 100,3 assassinatos para cada 100 mil habitantes, e à de 2018 - 71,2 para cada 100 mil habitantes.
Além dos crimes contra a vida, a grande maioria dos outros delitos monitorados pela SSP registrou redução no Estado. No acumulado de sete meses, foram 31,5% menos roubos de veículos em comparação com 2018. Outro destaque é a diminuição de 33% nos ataques a banco. Também houve queda de 9,4% nos roubos, de 12,3% nos furtos de veículos, de 14,8% nos furtos e de 24% nos roubos a transporte coletivo, incluindo passageiros e motoristas.
Os indicadores foram apresentados durante reunião de Gestão Estatística em Segurança (Geseg), ciclo mensal no qual representantes dos órgãos de segurança nos 18 municípios com maiores índices de criminalidade se encontram para trocar informações sobre práticas bem e malsucedidas, e definir estratégias de combate aos delitos. Antes do encontro em nível estadual, há reunião das corporações municipais, após, do município como um todo, e, depois, da região. "O resultado tem sido números positivos que, apesar de não nos deixarem absolutamente satisfeitos, nos deixam a certeza de que estamos no caminho da redução da criminalidade", destaca o governador Eduardo Leite.
O vice-governador do Estado e secretário de Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, afirma que os números ainda estão muito longe do que o Executivo espera, mas inspiram a seguir melhorando os índices. "Priorizamos os 18 municípios mais violentos exatamente pela representatividade deles nos indicadores de criminalidade. Eu não tenho dúvida de que, havendo um tratamento diferenciado nessas cidades, haverá um resultado estratégico na redução dos índices para o Estado como um todo", avalia.
Sobre a pesquisa divulgada pelo Instituto Sou da Paz nesta semana, que revelou média de esclarecimento de 60% dos homicídios ocorridos no Rio Grande do Sul, o vice-governador informou que a taxa está melhorando desde a criação do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Dentro do RS Seguro, Ranolfo afirma ter solicitado que a Polícia Civil pontuasse quantos inquéritos tiveram indiciamento, quantos desses o Ministério Público de fato denunciou e em quantos casos houve condenação do autor do crime. "É importante termos todo o sistema de justiça criminal, para chegarmos à conclusão de onde está havendo alguma falha", observa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia