Porto Alegre, segunda-feira, 09 de setembro de 2019.
Dia do Administrador e do Médico Veterinário.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo e serviços

Notícia da edição impressa de 02/07/2019. Alterada em 09/09 às 09h53min

Novos prédios do Hospital de Clínicas de Porto Alegre são concluídos

Instituição passará por vistoria antes da obtenção de PPCI e Habite-se

Instituição passará por vistoria antes da obtenção de PPCI e Habite-se


HCPA/DIVULGAÇÃO/JC
A construção dos dois novos prédios do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) foi declarada oficialmente concluída nesta segunda-feira. Nos próximos três meses, a fase será de vistoria do espaço pela direção da instituição e pela construtora responsável - só depois será possível iniciar processos para obtenção de Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) e Habite-se (certidão de liberação para habitação de um imóvel), e a equipagem das alas. A obra teve investimento de R$ 480 milhões durante os cinco anos de sua execução, iniciada em 2014.
A expectativa é transferir a emergência e a recepção do ambulatório para os novos blocos ainda neste ano. A ocupação dos outros espaços deve ocorrer gradualmente a partir de 2020, conforme disponibilidade de recursos. Uma das áreas prioritárias para transferência no ano que vem é o bloco cirúrgico, que depende, para operar, da instalação do Centro de Material Esterilizado, cujos equipamentos já estão em processo de licitação.
Apesar da finalização dos prédios, não haverá, até segunda ordem, aumento no número de leitos, consultórios ou atendimentos, pois o contrato com a prefeitura segue com a mesma previsão de repasses ao hospital. Também não está prevista, ainda, abertura de concursos para novos profissionais.
Com os novos prédios, a emergência terá uma área física três vezes maior do que a atual, passando de 1,7 mil metros quadrados para 5,1 mil metros quadrados. A nova recepção do ambulatório foi pensada para abrigar pacientes e seus acompanhantes, que muitas vezes vêm do Interior e passam por uma longa espera até a hora da consulta.
Durante os três próximos meses, serão avaliados a adequação das instalações, os acabamentos, a eletricidade, a climatização, os elevadores, o correio pneumático e outros detalhes, além das condições de segurança para pacientes e profissionais. Depois disso, caso esteja tudo de acordo com o previsto em contrato, o Clínicas buscará aprovação do PPCI, que já está protocolado junto ao Corpo de Bombeiros e, após esse aval, a solicitação do Habite-se à prefeitura.
Em paralelo, a direção trabalha na aquisição de móveis, bem como na realização de obras para a ligação física e o estabelecimento de fluxos de medicamentos, alimentos, roupas hospitalares e outros itens entre os prédios novos e os antigos. O hospital não informou se há recursos para mobiliar os novos prédios.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

EXPEDIENTE