Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 25 de junho de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

educação

25/06/2019 - 14h03min. Alterada em 25/06 às 17h14min

Ulbra vai fechar escolas no Rio Grande do Sul e Amazonas

Rede pediu recuperação judicial, mas a Justiça negou o processamento

Rede pediu recuperação judicial, mas a Justiça negou o processamento


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Atualizada às 17h15min.
Atualizada às 17h15min.
A rede Ulbra vai fechar quatro escolas de educação básica (Ensino Fundamental e Médio), três delas situadas no Rio Grande do Sul e uma em Manaus, no Amazonas.  Ao todo, 741 alunos - 15,43% do total de alunos da rede de educação básica - e 119 professores e funcionários serão afetados. O fechamento representa ainda 25% da rede de Ensino Fundamental e Médio, que soma 15 unidades.
A medida integra ações do quadro de crise financeira da instituição. A rede pediu recuperação judicial, mas a Justiça negou o processamento. A instituição entrou com recursos judiciais para tentar validar o pedido.   
As escolas que serão fechadas são as escola fundamentais Ulbra Paz (283 alunos, 28 colaboradores e docentes) e Ulbra São Marcos (154 alunos, 26 colaboradores e docentes), as duas em Canoas, e o Colégio Ulbra São Mateus (162 alunos, 34 colaboradores e docentes), em Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul, e o Colégio Ulbra Concórdia Manaus (142 alunos, 29 colaboradores e docentes), em Manaus, no Amazonas.
Segundo nota da mantenedora, a Aelbra, as atividades serão encerradas em 31 de dezembro deste ano. "A decisão, difícil, mas necessária, faz parte do plano de reestruturação da instituição", disse a Aelbra por nota nesta terça-feira (25).
"A Rede Ulbra de Educação lamenta ter de recorrer a essa medida. Apesar de todos os esforços, as quatro escolas continuaram deficitárias por mais de cinco anos", completou a rede, que reforça que concluirá o ano letivo para não gerar prejuízos aos alunos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia