Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de maio de 2019.
Dia da Saúde.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Patrimônio

Edição impressa de 28/05/2019. Alterada em 28/05 às 03h00min

Prédio que abriga Usina das Artes terá edital em 2020

O titular da Secretaria Municipal da Cultura, Luciano Alabarse, enviou resposta escrita ao Jornal do Comércio, referente à situação do projeto Usina das Artes, mencionado na matéria "Prazo apertado para reformas na Usina do Gasômetro", publicada na edição de sexta-feira. No texto, Alabarse revela que está sendo elaborado, para 2020, um novo edital para ocupação da Casa Santa Terezinha, onde os remanescentes do projeto estão desde 2017, quando saíram do Gasômetro para dar espaço às reformas no prédio.
Conforme Alabarse, os interessados em ocupar a Santa Terezinha deverão participar da concorrência, que ainda não tem data para ocorrer. A situação pode entrar em conflito com as necessidades do Usina das Artes, que existe desde 1993 e tem oferta de estrutura física e suporte financeiro previstas em lei municipal. O último edital para o projeto, que engloba atividades de dança, teatro, circo e música, ocorreu em 2016 e, desde então, alguns grupos se desligaram .
O secretário questiona afirmações feitas ao JC por Alexandre Dill, integrante do grupo de experimentação teatral Grupojogo e figura atuante no Usina das Artes. O artista afirmou que não via perspectiva de retorno ao Gasômetro, como originalmente prometido, e criticou a ausência da prefeitura na administração e conservação do espaço. "Enquanto secretário, já estive na Casa Santa Terezinha em quatro ocasiões", rebate Alabarse.
Ele garante que o prédio está passando por reformas, com renovação do telhado e do sistema hidráulico, além de manutenção na calçada e no portão de entrada. Técnicos e profissionais de limpeza estariam atuando para manter o local em ordem, "mesmo que alguns grupos, o de Alexandre inclusive, se neguem a abrir as salas ou entregar as chaves para a manutenção". No momento, o prédio passa por pintura, e a garantia é de que "esteja totalmente renovado" até o lançamento do futuro edital.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia