Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de maio de 2019.
Dia da Enfermagem. Dia das Mães.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança Pública

12/05/2019 - 21h42min. Alterada em 12/05 às 22h02min

Bombeiros gaúchos aprendem primeiros socorros para cães de busca e salvamento

Curso de Primeiros Socorros para cães reuniu bombeiros militares de todo o Estado

Curso de Primeiros Socorros para cães reuniu bombeiros militares de todo o Estado


SANDRA MARQUES/DIVULGAÇÃO/JC
Os cães labradores Bono e Barão, da Companhia Especial de Busca e Salvamento (CEBS) do Corpo de Bombeiro em Porto Alegre, ganharam notoriedade por atuar nos resgates de vítimas da tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais. Mas se um deles sofrer algum acidente ou tiver alguma intercorrência?
Pensando nisso, os bombeiros militares e alunos que fazem a escola preparatória da corporação participaram recentemente de um curso de primeiros socorros para cães de busca e salvamento. A iniciativa faz parte de uma parceria entre a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e os bombeiros gaúchos e que possibilitou a realização do primeiro curso de primeiros socorros para cães de trabalho da CEBS.
> VÍDEOS JC: Veja como foi o curso de primeiros socorros
As tratativas já vinham ocorrendo há alguns meses e preveem cursos e outras atividades até 2022, informa o comandante da companhia, o primeiro tenente Claudiomiro Maier Rodrigues. A médica veterinária e servidora da Ufrgs Sandra Marques, que já desenvolve trabalhos na área da saúde dos animais da corporação e da Brigada Militar, buscou a direção da faculdade e conseguiu a aproximação para que o projeto fosse implementado.  
As orientações contemplaram situações como fraturas, traumas de tórax e de abdômen e hemorragias. Por dois dias, na quinta-feira (9) e sexta-feira (10) passadas, os bombeiros fizeram a imersão nas instalações da faculdades no campus do Vale, no bairro Agronomia. A rodada teve etapa teórica e outra prática, com uso de cães filhotes da própria companhia e manequins para que os militares pudessem experimentar as situações envolvendo os animais. Além da capacitação, a parceria também aportou atendimento aos cães, já que os Bombeiros não têm estrutura para dar a assistência, destacou Sandra.   
“O curso foi extremamente positivo, pois nossos cães não tinham nenhum cuidado até a doutora Sandra surgir com o programa que apresenta vários projetos. Serão vários cursos que vão até 2022", diz Rodrigues. Além 14 militares da CBS, outros 72 alunos que faz a formação para bombeiros também passaram pela imersão. "Todos gostaram muito do treinamento nesta parceria com médicos veterinários e professores da Ufrgs", reforça o comandante.
No futuro, diz Rodrigues, a ideia é firmar um termo de cooperação entre a Ufrgs e a corporação para atendimento dos cães. Hoje o CEBS não tem nenhum tipo assistência, nem para aquisição de medicamentos e compra de mais animais. Hoje são quatro cães adultos - todos foram apoiar as ações em Brumadinho - e quatro filhotes. No curso, dois filhotes serviram de cobaias para as orientações. Um dos cães teve de passar por uma cirurgia e ficou dois dias internado no Hospital Veterinário. Já os labradores Barão e Bono na volta d Brumadinho puderam fazer um check-up na Ufrgs, sem custo.
Rodrigues explica que a unidade em Porto Alegre atende as necessidades de busca e salvamento em todo o Rio Grande do Sul. Quando há alguma demanda, o comando na Capital define como será o socorro. Há sempre de plantão um binômio - que é um cão e um bombeiro que atuam em dupla. Também existe uma companhia em Santa Maria, que consegue apoio médico-veterinário da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia