Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Infraestrutura

07/05/2019 - 23h09min. Alterada em 09/09 às 10h04min

ETA no Sul de Porto Alegre está mais perto de sair do papel

Porto Alegre, RS 07/02/2019: Secretários Municipais estiveram em Brasília para tratar do financiamento da Ponta do Arado. Foto: SMPG/Divulgação PMPA

Porto Alegre, RS 07/02/2019: Secretários Municipais estiveram em Brasília para tratar do financiamento da Ponta do Arado. Foto: SMPG/Divulgação PMPA


SMPG/Divulgação/CMPA/JC
Uma necessidade antiga dos moradores do Extremo-Sul e da Zona Leste de Porto Alegre está bem próxima de começar a virar realidade. Após importantes avanços nesta semana, a prefeitura de Porto Alegre se credenciou para contrair crédito de até R$ 220,7 milhões junto à Caixa Econômica Federal, como parte do Programa Avançar Cidades - Saneamento, para as obras da Estação de Tratamento de Água (ETA) Ponta do Arado. Uma audiência em Brasília com o secretário nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, Jonathas Castro, garantiu os recursos necessários para a viabilização do projeto.
A prefeitura evita dar prazos, mas garante que, uma vez cumprido o último trâmite pretende encaminhar o empréstimo com a maior brevidade possível. A previsão é de que as obras, uma vez iniciadas, sejam concluídas em três anos.
Porto Alegre está entre as cidades incluídas na Portaria 1.106, publicada no Diário Oficial da União de segunda-feira e que traz o resultado do processo seletivo para ações municipais de saneamento básico. Fica faltando, agora, o aval da Secretaria do Tesouro Nacional, ligada ao Ministério da Fazenda, para que a operação de crédito possa ocorrer. A Caixa vai financiar 95% dos valores, e o restante será dado pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae), como contrapartida.
O financiamento será para a construção da ETA, mais a Estação de Bombeamento de Água Bruta (Ebab) Ponta do Arado, uma adutora de captação e outra de recalque de água bruta. Os recursos do Dmae serão utilizados em obras complementares.
O principal objetivo da nova estação é dar um novo fôlego ao sistema Belém Novo, cuja incapacidade de atender a demanda está diagnosticada desde 2012. Com a ETA Ponta do Arado, espera-se dobrar a capacidade de abastecimento, levando 2.000 litros de água potável por segundo para bairros do Extremo-Sul de Porto Alegre, como Aberta dos Morros, Belém Novo, Hípica, Lami, Lomba do Pinheiro e Restinga.
Segundo a prefeitura, em torno de 250 mil pessoas serão atendidas, e o potencial total da unidade é ainda maior, chegando a mais de 320 mil moradores no futuro. Uma das consequências esperadas é criar condições para empreendimentos imobiliários na região, que ainda não dispõe de uma rede de abastecimento adequada para grandes obras habitacionais.
A necessidade de construção da ETA Ponta do Arado foi identificada em 2013, após estudos técnicos apontarem a necessidade de uma nova estação no Extremo-Sul de Porto Alegre, com o dobro da capacidade da atual. O projeto de engenharia foi finalizado em 2014 e está cadastrado junto ao Ministério das Cidades desde 2017.
Comentários CORRIGIR TEXTO

EXPEDIENTE

2019