Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 02 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

02/05/2019 - 17h26min. Alterada em 02/05 às 17h28min

SUS oferece mais três medicamentos para jovens transplantados de fígado

Foram realizados 239 transplantes de fígado em crianças e adolescentes em 2018

Foram realizados 239 transplantes de fígado em crianças e adolescentes em 2018


USP IMAGENS /FOTOS PÚBLICAS/DIVULGAÇÃO/JC
Agência Brasil
O Sistema Único de Saúde (SUS) aumentou o fornecimento de medicamentos utilizados para evitar a rejeição de fígado transplantado em crianças e adolescentes, de 0 a 17 anos.
Conforme o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT), que orienta o cuidado relacionado ao transplante hepático pediátrico, poderão ser prescritos os imunossupressores basiliximabe, everolimo e timoglobulina.
De acordo com nota do Ministério da Saúde, os medicamentos já estavam sendo fornecidos pelo SUS.
Além desses, o SUS disponibiliza outros nove medicamentos o azatioprina, ciclosporina, metilprednisolona, micofenolato de mofetila, micofenolato de sódio, prednisolona, prednisona, sirolimo e o tracolimo.
Transplantes
Dados do Ministério contabilizam que no ano passado foram realizados 239 transplantes de fígado em crianças e adolescentes. Nos dois primeiros meses de 2019, foram realizados 32 transplantes pediátricos. Nove em cada dez casos de transplantes são custeados pelo SUS, que oferece assistência integral e gratuita. Em mais de 90% dos procedimentos, os resultados são positivos
O transplante de fígado é indicado para quem sofre com doenças hepáticas agudas ou crônicas irreversíveis e progressivas. No caso de crianças e adolescentes, as principais indicações de transplante são para casos de obstrução progressiva sem causa definida (atresia de vias biliares) e doenças metabólicas como, por exemplo, excesso de gordura no fígado (esteatose).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia