Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Meio ambiente

Edição impressa de 19/02/2019. Alterada em 18/02 às 01h00min

Barragens como a de Brumadinho devem ser desativadas até 2021

Em resolução publicada ontem no Diário Oficial, a Agência Nacional de Mineração estipulou prazo até agosto de 2021 para a eliminação de barragens com alteamento a montante, como as de Brumadinho e Mariana, em Minas Gerais. O processo envolve a retirada dos rejeitos e a reintegração das áreas ao meio ambiente. O texto também determina que mineradoras retirem instalações industriais de zonas de risco, além de fazer obras de reforço que diminuam a chance de rompimentos durante o processo de desativamento.
No momento, há 84 barragens no Brasil que fazem uso do método, em que as estruturas de contenção são construídas sobre o rejeito. Dessas, 43 são classificadas como de alto dano potencial em caso de rompimento.
Os números mais recentes, divulgados pelo Corpo de Bombeiros, dão conta de 169 mortos no rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, ocorrida no final de janeiro. Todas as vítimas fatais foram identificadas, e as buscas para localizar 141 pessoas desaparecidas seguem na região.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia