Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019.
Aniversário da Casa da Moeda do Brasil.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Rio de Janeiro

Edição impressa de 12/02/2019. Alterada em 11/02 às 01h00min

Funcionários do Flamengo depõem em investigação sobre incêndio

Samuel Thomas, uma das vítimas do incêndio, foi enterrado na tarde de ontem

Samuel Thomas, uma das vítimas do incêndio, foi enterrado na tarde de ontem


MAURO PIMENTEL/AFP/JC
Cinco funcionários com atribuições no Ninho do Urubu, centro de treinamento do Flamengo, devem depor hoje, no âmbito das investigações sobre o incêndio ocorrido na última sexta-feira, que causou a morte de dez atletas das categorias de base do clube, além de deixar três feridos. O objetivo é determinar quem era responsável pela manutenção do local, além de determinar quais materiais faziam parte da estrutura do contêiner onde os jogadores estavam alojados e se havia rota de fuga para situações de risco.
Um dos sobreviventes, o jogador Cauan Emanuel, de 14 anos, recebeu alta médica ontem. A previsão do Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, era de que o jovem deixasse a unidade ainda nesta segunda-feira. Internado no mesmo hospital, o atleta Francisco Dyogo apresentou melhoras, mas continuava internado no Centro de Tratamento Intensivo para receber suporte respiratório. Sobrevivente que sofreu queimaduras mais graves no incêndio, o jogador Jhonata Ventura, de 15 anos, teve sedação suspensa e apresentou melhora nas lesões pulmonares, segundo comunicado. Não há, porém, previsão de alta para os dois jovens.
Para outras cinco famílias, a segunda-feira foi dia de despedir-se de seus entes queridos. Das cinco vítimas fatais sepultadas ontem, apenas Samuel Thomas de Souza Rosa, de 15 anos, ficou no Rio. Jorge Eduardo Santos, 15 anos, foi enterrado em Além Paraíba (MG), enquanto a cerimônia para Áthila Souza Paixão, de 14 anos, foi realizada em Lagarto (SE). Outros dois mortos foram enterrados no interior de São Paulo: Rykelmo de Souza Viana, de 16 anos, com ritos realizados em Limeira, e Gedson dos Santos, 14 anos, na cidade de Itararé.
As demais vítimas foram enterradas no domingo, em um clima de grande comoção. São eles: Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos; Bernardo Pisetta, 14 anos; Christian Esmério, 15 anos; Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos; e Vitor Isaías, 15 anos.
Ontem, promotores de Justiça se reuniram com representantes da diretoria do Flamengo, tentando construir soluções imediatas relativas às famílias atingidas e regularizar as instalações do CT. Também participaram da reunião representantes do Ministério Público do Trabalho, da Defensoria Pública, da Polícia Civil, dos bombeiros e da prefeitura do Rio.
Em depoimento à Polícia Civil, um dos sobreviventes indicou a existência de uma espécie de "gambiarra" em um dos aparelhos de ar-condicionado do alojamento, que seria menor que o espaço na parede. Em paralelo, uma análise preliminar constatou que as chamas provavelmente tiveram início a partir de um curto-circuito em dos equipamentos de climatização.
Em meio à comoção causada pela tragédia no Ninho do Urubu, um novo incêndio atingiu atletas do futebol carioca - desta vez, vinculados ao Bangu. Um quarto da Comissão de Desportos da Aeronáutica, localizada na Zona Oeste do Rio, pegou fogo ao final da manhã de ontem, por razões ainda desconhecidas. O local vem recebendo treinamentos do clube nesta temporada. Três atletas profissionais, que descansavam no alojamento, ficaram feridos, mas sem gravidade. 
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia