Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de dezembro de 2018.
Dia do Petroquímico. Dia do Salva-Vidas.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

Edição impressa de 26/12/2018. Alterada em 28/12 às 11h20min

Ano se despede com chuva e altas temperaturas no Rio Grande do Sul

As marcas, hoje, variam entre 14 e 30 graus no Estado, e entre 21 e 29 graus na Capital

As marcas, hoje, variam entre 14 e 30 graus no Estado, e entre 21 e 29 graus na Capital


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A última semana de 2018 será de instabilidade e de altas temperaturas no Rio Grande do Sul. Pelo menos até quinta-feira, há chance de chuva todos os dias, especialmente na Região Norte. Na Capital, porém, chove hoje, mas o tempo fica firme até sábado. 
As marcas, hoje, variam entre 14 e 30 graus no Estado, e entre 21 e 29 graus na Capital. Amanhã, oscila entre 15 e 33 graus, e, na Capital, entre 22 e 30 graus. A possibilidade de chuva segue na Região Norte, e as temperaturas ficam entre 16 e 35 graus. Na Capital, os termômetros variam entre 23 e 34 graus. O cenário se mantém no sábado - chuva na Região Norte e céu nublado nas demais localidades -, com marcas que partem dos 16 e podem chegar aos 36 graus. Na Capital, fica entre 22 e 35 graus.
Na terça-feira, Porto Alegre ainda estava vazia devido ao feriadão de Natal. As principais avenidas e ruas refletiam a ausência da maioria da população, e nem mesmo o calorão de 30,3 graus foi capaz de movimentar parques e praças, normalmente lotados em fins de semana e feriados. Essa foi a temperatura mais alta registrada na Capital, enquanto a mais baixa foi 19,3 graus. Nas demais regiões, a temperatura mais alta, de 33 graus, foi sentida em São Luiz Gonzaga, e a mais baixa, de 13,3 graus, em São José dos Ausentes.

Mesmo chuvoso, verão traz El Niño enfraquecido

Os casacos podem ser esquecidos no armário, no mesmo lugar que os cachecóis, as botas e as meias grossas. A estação mais quente do ano começou na sexta-feira, às 20h23min, e deve conservar as temperaturas nas alturas pelo menos pelos próximos dois meses. Se as roupas quentes serão esquecidas por um tempo, no entanto, o guarda-chuva será muito utilizado, uma vez que a estação promete ser de bastante chuva durante todo o período.

A meteorologista Graziella Gonçalves, da Climatempo, explica que o fenômeno El Niño, tradicional para a época do ano, não deve ser tão intenso quanto foi em 2015 e 2016. "Aos poucos, o El Niño está querendo se configurar. Até agora, não conseguimos sentir o processo de seca no Nordeste e de chuvas em excesso no Sul", explica.

No Rio Grande do Sul, o El Niño deve se manifestar com mais força a partir do final de janeiro. O mês será de chuva abaixo da média esperada para o verão. Já em fevereiro, a presença do fenômeno será mais perceptível, e chove com mais intensidade, acima da média, com risco de temporais e de pancadas de chuva. As temperaturas devem ser altas durante ambos os meses. Em março, a umidade volta a se espalhar, e a chuva fica, também, acima da média.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia