Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

direitos humanos

Edição impressa de 06/12/2018. Alterada em 06/12 às 01h00min

Venezuelanos já trabalham formalmente em Porto Alegre

Após dois meses da chegada de 70 venezuelanos a Porto Alegre, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte fez um balanço dos serviços prestados e da adaptação dos refugiados ao novo lar. As 14 crianças em idade escolar foram matriculadas na rede pública municipal para o próximo ano letivo e, entre 45 adultos aptos ao trabalho, dez estão empregados e 14, em fase de contratação.
No final de setembro, a Capital se integrou ao programa de interiorização do governo federal. Dos venezuelanos que chegaram a Roraima, 70 foram acolhidos na instituição Aldeias Infantis SOS, em parceria com a Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), que assumiu os custos do acolhimento.
Assim que os imigrantes chegaram a Porto Alegre, uma equipe fez o cadastro das famílias e o diagnóstico das necessidades. Foram distribuídos kits de roupas e cobertores para todas as famílias. Os refugiados recebem atendimento médico na Unidade de Saúde Santo Agostinho, que conta com duas médicas venezuelanas na equipe. Eles também têm acesso aos medicamentos na farmácia distrital e ao pronto-atendimento da região.
Todos os venezuelanos vieram com a documentação civil completa (carteira de trabalho, CPF e protocolo da Polícia Federal). Muitos já vieram com o Cadastro Único e estão recebendo Bolsa Família. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia