Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de dezembro de 2018.
Dia Mundial da Propaganda.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transportes

04/12/2018 - 19h25min. Alterada em 04/12 às 20h43min

Marchezan dá 15 dias para recarga do TRI com cartões de crédito e débito

Marchezan editou primeiro decreto para adoção da recarga com cartão em março de 2017

Marchezan editou primeiro decreto para adoção da recarga com cartão em março de 2017


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Paulo Egídio
O prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) estabeleceu nesta terça-feira (4) um novo decreto dando 15 dias para que as empresas de ônibus de Porto Alegre ativem uma plataforma para pagar a recarga do TRI com cartões de crédito e débito pela internet e por aplicativos. A medida havia sido determinada pelo prefeito ainda em janeiro de 2017, mas jamais foi cumprida pelas empresas, conforme reportagens do Jornal do Comércio.
A nova regra, publicada no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa), revoga o decreto anterior que estipulava  até março do ano passado para que a plataforma entrasse em vigor. Em 20 meses, a recarga com um dos meios de pagamento que mais cresce e facilita a vida do usuário foi adiada sucessivamente. O último prazo prometido pela Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP), que faz a gestão do pagamento, foi dezembro deste ano.
Nessa segunda-feira, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT) resolveu agir e pediu investigação ao Ministério Público de Contas (MPC) sobre o atraso na disponibilização da plataforma. Sgarbossa pediu a instauração de um procedimento de averiguação para apurar o descumprimento decreto e de supostas irregularidades decorrentes. “Quase dois anos depois que o prefeito Marchezan Júnior assinou o decreto, nada saiu do papel”, reclamou o vereador. 
A nova ferramenta deve viabilizar a compra de créditos de passe antecipado, vale-transporte e Passagem Escolar e não deve alterar o valor da tarifa, que atualmente é de R$ 4,30 - para estudantes a tarifa é de R$ 2,15. As recargas com cartões de crédito e débito, no entanto, está sujeito à cobrança de uma taxa de conveniência pela ATP. Hoje é possível fazer a operação pelo site do programa de passagens que gera um boleto para pagamento, portanto não é de quitação automática. A disponibilidade dos créditos leva alguns dias para ocorrer.  
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia