Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de novembro de 2018.
Dia Nacional da Consciência Negra. Dia Universal das Crianças.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

são paulo

18/11/2018 - 17h58min. Alterada em 18/11 às 17h58min

Estrutura do viaduto volta a ceder, mas dentro da normalidade, diz secretário

Estadão Conteúdo
O secretário de Infraestrutura e Obras, Vitor Aly, informou neste domingo (18) que a estrutura do viaduto próximo ao Parque Villa-Lobos e à Ponte do Jaguaré, zona oeste de São Paulo, cedeu mais 3 milímetros, mas que está dentro do esperado.
"Nós tivemos variações na manhã deste domingo porque esquentou, é normal. Todas as variações estão dentro do limite e sob controle", disse Aly.
Segundo o secretário, estão sendo realizadas escavações no local para colocar dez estacas e saber a profundidade da fundação. "Essas estacas nos dirão a profundidade em que deveremos colocar as fundações para construir o bloco que vai sustentar o macaco hidráulico, que será usado para alinhar novamente a estrutura do viaduto", afirmou Aly.
Na tarde deste domingo será feito um corte na estrutura do viaduto para realizar vistoria visual. A ideia, segundo a Prefeitura, é abrir uma janela e verificar as condições de acesso dentro da estrutura.
Após testes na manhã deste domingo, a circulação dos trens da Linha 9-Esmeralda da CPTM, que estava bloqueada desde quinta-feira (15) foi liberada.
"Hoje nós concluímos 120 metros de escoramento, o que possibilitou fazer os testes com vagões vazios e verificar as oscilações. Com isso, estamos liberando o transporte com passageiros desde já, de maneira monitorada", afirmou o secretário.
Os trens, que normalmente circulam a 60km/h, deverão circular a uma velocidade de 20 km/h no trecho em que houve o rompimento do viaduto, mas a linha será afetada de forma geral. Radares foram instalados na via férrea para fiscalizar o limite.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia