Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de setembro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Direitos humanos

Edição impressa de 13/09/2018. Alterada em 13/09 às 01h00min

Primeiro grupo de venezuelanos já está em Canoas

Mais de 200 venezuelanos chegaram ontem a Canoas, vindos de Boa Vista, em Roraima. É a primeira vez que a cidade participa do processo de interiorização dos migrantes, oferecendo assistência às famílias. O município gaúcho receberá R$ 1,2 milhão do governo federal nos próximos seis meses, para estruturar a sua rede socioassistencial. Mais de 1,5 mil venezuelanos já foram transferidos de Roraima para outros estados.
O avião da Força Aérea Brasileira deixou a capital de Roraima às 8h15min e chegou a Porto Alegre no início da tarde. De lá, o grupo de migrantes foi para os abrigos de Canoas de ônibus. Está prevista a vinda de mais venezuelanos ainda nesta semana. Algumas famílias serão abrigadas em Canoas e outras, em Esteio, município que receberá R$ 534,4 mil do governo federal pelo acolhimento.
Ao longo de setembro, o governo espera transportar quase 400 pessoas por semana para outros estados, a fim de não sobrecarregar Roraima, porta de entrada dos migrantes. Na última semana, 408 venezuelanos foram levados a Manaus, Cuiabá, São Paulo e Brasília.
Milhares de venezuelanos têm buscado abrigo no Brasil, devido à crise humanitária. O Brasil, em virtude de pactos internacionais de direitos humanos e de sua Lei de Migração, se compromete em acolher refugiados. Os venezuelanos que solicitam refúgio e residência têm direito a receber vacinas, exames de saúde e documentos como o CPF e a carteira de trabalho, a fim de poderem construir uma nova vida em solo brasileiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia