Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de julho de 2018.
Feriado em São Paulo - Revolução Constitucionalista.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

09/07/2018 - 13h16min. Alterada em 09/07 às 13h23min

Grupo de Gramado assume dois hospitais em Porto Alegre

Novos gestores firmaram contrato e prometem começar a atender em 1º de agosto

Novos gestores firmaram contrato e prometem começar a atender em 1º de agosto


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Isabella Sander
Sem poder receber pacientes via Sistema Único de Saúde (SUS) e planos de saúde há pelo menos oito meses, o Hospital Beneficência Portuguesa teve contrato assinado com novo gestor nesta segunda-feira (9) em Porto Alegre. O presidente da Associação Beneficente São Miguel (ABSM), Rafael França, prometeu, no ato de assinatura do contrato na manhã desta segunda, reabrir o estabelecimento para atender pacientes de planos de saúde no dia 1º de agosto.
No evento que oficializou o acordo, os dirigentes da ABSM anunciaram que já firmaram contrato para assumir o Hospital Parque Belém, que está fechado e fica na zona sul da Capital, com capacidade para 208 leitos. França diz que o acordo para locação do hospital foi assinado há três meses com os proprietários. 
O contrato de gestão e comodato firmado entre a ABSM, que tem sede em Gramado, e o Beneficência tem duração de cinco anos, podendo ser prorrogado. O novo grupo poderá assumir o ativo do hospital, que hoje pertence à mantenedora Associação Beneficência Portuguesa. Nesse período, o novo gestor tem a missão de superar uma dívida estimada em R$ 81 milhões, entre não pagamento de salários e direitos trabalhistas, pagamentos de fornecedores e de empréstimos, e não prestação de serviços contratados pelo poder público, fazer reformas orçadas previstas  em R$ 30 milhões no prédio do estabelecimento e tornar o hospital superavitário.
Os serviços no Beneficência abrirão gradualmente, segundo os novos dirigentes. Em 1º de agosto, a previsão é que já estejam funcionando 50 leitos, dos 160 existentes no local. Os planos de saúde Unimed e Instituto de Previdência do Estado (IPE) demonstraram interesse em firmar convênio com o hospital e internar seus pacientes no local, disse o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Paulo de Argollo Mendes. Ainda não há previsão para abertura de leitos pelo SUS, mas os novos gestores negociam possibilidades junto à prefeitura de Porto Alegre e ao governo do Estado.
No Parque Belém, que deve mudar de nome para Complexo São Miguel, a meta é ofertar 130 leitos pelo SUS, sendo cem de enfermaria, dez de recuperação em apoio a quatro salas de cirurgia, dez de UTI e dez de observação para a emergência. O município, segundo o presidente da ABSM, não manifestou interesse em ofertar os leitos para o sistema público, mas o Estado teria indicado que quer contratar a estrutura para atender a rede.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia