Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Imigração

Alterada em 03/07 às 12h29min

Mais 169 imigrantes venezuelanos são transferidos para o RJ, PB e PE

Agência Brasil
Três cidades brasileiras recebem nesta terça-feira (3) imigrantes venezuelanos, em uma nova etapa do processo de interiorização. Está previsto o embarque de 164 solicitantes de refúgio e migrantes em Boa Vista, Roraima, que serão transferidos para as cidades de Igarassu, em Pernambuco; Conde, na Paraíba, e Rio de Janeiro.
De acordo com o governo federal e com a Organização das Nações Unidas (ONU), a interiorização é o processo de promover a mudança de venezuelanos para outros estados do país. Até o dia 15 de maio, segundo a ONU Brasil, 527 venezuelanos foram distribuídos entre São Paulo, Manaus e Cuiabá. O processo conta com o apoio técnico da Agência da ONU para Refugiados, da Organização Internacional para as Migrações e do Fundo de População das Nações Unidas.
A cidade de Conde receberá 45 pessoas; 69 seguem para Igarassu e 50 para o Rio de Janeiro. É a primeira vez que essas cidades recebem imigrantes venezuelanos que aceitaram participar da transferência.
No Rio de Janeiro e em Igarassu, a ONG Aldeias Infantis administra o abrigo que vai receber os solicitantes de refúgio. Lá, serão acolhidas famílias com crianças e adolescentes, além de mulheres que estejam sozinhas no Brasil ou grávidas. Já em Conde, o abrigo é de responsabilidade do Serviço Pastoral do Migrante e vai receber prioritariamente homens e mulheres entre 18 e 30 anos, além de famílias.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia