Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de junho de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Copa 2018

Alterada em 20/06 às 14h47min

Empresa demite funcionário que constrangeu russas durante a Copa

Latam também divulgou nota de repúdio à atitude do agora ex-funcionário da companhia

Latam também divulgou nota de repúdio à atitude do agora ex-funcionário da companhia


Latam Brasil/Divulgação/JC
Após muita polêmica, a companhia aérea Latam anunciou a demissão do funcionário Felipe Wilson, responsável por um vídeo em que ele aparece constrangendo mulheres na Rússia, durante a Copa do Mundo da Rússia. A empresa divulgou uma nota dizendo que repudia a atuação de seu ex-funcionário e que tomou as medidas cabíveis, de acordo com seu código de ética e conduta.
Em um trecho do vídeo, ele pede para as russas repetirem uma frase de baixo calão. Em seguida, Felipe aparece sorrindo e gritando "Brasil, Brasil" e um outro homem entra na frente da câmera assobiando.
A companhia aérea divulgou uma nota oficial sobre o caso. "A LATAM Airlines Brasil repudia veementemente qualquer tipo de ofensa ou prática discriminatória e reforça que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa. A partir deste pressuposto, a companhia informa que tomou as medidas cabíveis, conforme seu código de ética e conduta", diz em nota enviada ao blog Fera.
No sábado, 16, um outro vídeo postado nas redes sociais por um grupo de brasileiros que estão na Rússia para acompanhar o Mundial 2018 também causou grande repercussão. Nas imagens, ao menos cinco homens tentam convencer uma mulher russa a gritar uma referência constrangedora a ela própria.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia